Pular para o conteúdo principal

25 anos e ninguém foi jogado pela janela


O baixista do Skid Row, Rachel Bolan, Concedeu entrevista ao SCTimes. Confira alguns trechos.

Os 25 anos da banda: Passei mais tempo com Snake (Sabo, guitarrista) do que com qualquer esposa ou namorada. Conheço o cara faz tempo, assim como Scotti (Hill, o outro guitarrista). Isso não significa que concordamos em tudo. Houve momentos em que gostaríamos de jogar um ao outro pela janela. Mas no fim, somos como irmãos.

O rompimento no meio da década de 1990: Achamos que não faríamos mais nada. Mas começamos a receber e-mails e cartas no escritório. As pessoas queriam voltar a ver o Skid Row e começamos a sentir falta disso. Sabíamos que se voltássemos as coisas seriam diferentes.

Johnny Solinger, substituto de Sebastian Bach, que está na banda desde 1999: Quando ele se juntou ao grupo, nos deu o gás que faltava. Havia um cara diferente e que trazia coisas positivas.

Os rumores de uma reunião com o antigo vocalista: Na verdade, nunca houve uma conversa concreta, apenas rumores. Nos livramos dele e nunca olhamos para trás.

A adaptação de Solinger à banda: Depois da primeira turnê, parecia que sempre tinha sido assim. É estranho, quando ouço uma canção antiga no rádio ela soa bizarra pois já me acostumei com a voz de Johnny nelas.

Novidades: Estamos trabalhando. Snake e eu sempre compomos quando temos chances. Já possuímos oito músicas e queremos fazer, no mínimo, mais umas dez. Moro em Atlanta e ele em Hollywood, então precisamos voar para um encontro. Fazemos o possível pelos contatos virtuais, mas a coisa só dá realmente certo quando estamos próximos. Duvido que algo sairá ainda esse ano, mas espero que em 2012 aconteça. Quando fizemos o primeiro disco, em 1988, jamais imaginei que ainda estaríamos nessa. É muito legal.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.