Pular para o conteúdo principal

Antes do rótulo


O site Bravewords bateu um papo com o frontman do Queensrÿche, Geoff Tate. Seguem trechos abaixo:

BraveWords: Os álbuns do Queensrÿche se diferem muito entre si. Por quê não há uma consistência no estilo do AC/DC neles?

Geoff Tate: "É o que fazemos, é nossa coisa. AC/DC é a maior banda de bar do mundo, é o que fazem. Fazemos cada disco diferente do outro e exploramos nossa química musical para ver onde podemos levar a música."

BraveWords: Conversamos no passado sobre um projeto em andamento para fazer um filme (com a história dos dois álbuns "Operaion Mindcrime"). Alguma atualização?

Tate: "Está definitivamente caminhando. Conversamos com muitas pessoas sobre o projeto, mas não posso dizer mais do que isso."

BraveWords: Será um filme baseado na história do álbum ou algo como "A Hard Day's Night", um filme que você só sai por aí?

Tate: "Definitivamente não. Será baseado na história".

BraveWords: A história do Mindcrime acabou ou terá uma parte três em breve?

Tate: "Não, acabou."

BraveWords: Há um pouco de ironia no Queensrÿche. Vocês são uma banda "progressiva", mas toda vez que há "progresso" com a música, os fãs dizem "queremos que vocês continuem os mesmos".

Tate: "Nunca nos intitulamos nada além de Queensrÿche. Já outras pessoas..."

BraveWords: Mas o rótulo tem sempre sido "metal progressivo" e o "Operation: Mindcrime" é considerado um álbum do gênero, mas quando vocês progrediram para "Hear In The Now Frontier" as pessoas diziam "espere, isso não é 'Operation: Mindcrime', o que estão fazendo?"

Tate: Existíamos antes desse gênero chamado 'metal progressivo'. Nunca jogamos esse jogo. Prefiro que as pessoas pensem que somos apenas o Queensrÿche. Rótulos servem para prender o artista. Você começa a acreditar no que as pessoas pensam de você e isso é um ponto perigoso. A partir do momento que você tenta ser o que as pessoas pensam o que você é, é melhor você se enforcar porque você não estará falando por si próprio. Você estará apenas servindo para uma porção da sua audiência."
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.