Pular para o conteúdo principal

Transformando dificuldades em música


É comum um artista declarar que o seu novo disco é o melhor de toda a carreira. Portanto, não foi nenhuma surpresa quando Sammy Hagar disse isso sobre Chickenfoot III, novo trabalho do supergrupo. Mesmo assim, o vocalista teve que enfrentar um processo de bloqueio criativo durante as gravações, como revelou em entrevista à Rolling Stone. “Estava em um clima negativo, lutando comigo mesmo. Joe trazia músicas tão boas, não queria completar com algo medíocre. Honestamente, me agredi pela primeira vez”.

A solução veio após uma viagem para Cabo San Lucas, no México, onde Hagar tem sua residência fixa, além do bar Cabo Wabo. “Fiquei lá por três semanas, ouvindo músicas. Um dia estava conversando com o pai de meu sócio. Ele tem 74 anos, é casado e tem uma amante. Disse a ele que deveria fazer uma escolha. Ele me respondeu: ‘É o mesmo inferno com um demônio diferente’. Ali tive a idéia para ‘Different Devil’, provavelmente o maior hit Pop que poderíamos ter se quiséssemos”.

Um grande abalo para o grupo aconteceu quando o manager John Carter morreu de câncer, durante as gravações. Ele é homenageado na faixa “Up Next”. O guitarrista Joe Satriani consegue sentir uma vibração mais dark no álbum, graças a isso. “Na hora não me dei conta, pois tentamos manter a concentração, até para não desapontá-lo”. Sammy ressalta que “não foi divertido fazer o disco. Mas quando ouço agora, fico arrepiado”.

Sobre o substituto de Chad Smith, que não poderá fazer a turnê, a dupla revelou que está testando Kenny Aronoff (John Mellencamp, John Fogerty, Jon Bon Jovi, Elton John e vários outros artistas com João no nome, sem contar os que não possuem). “Ele vai passar uns dias conosco, fazendo jams. Tem que rolar a química. Com certeza Kenny pode tocar todas as músicas e gostamos muito dele”, diz Sammy.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.