Pular para o conteúdo principal

Os dez discos que mudaram a vida de Paul Gilbert


O MusicRadar.com perguntou ao guitarrista do Mr. Big, Paul Gilbert, quais os dez álbuns que marcaram sua existência. Os escolhidos, com breves comentários, foram:
The Beatles – Help! (1965): “Há grandes melodias, como na faixa-título, The Night Before e Another Girl. Toquei muita air guitar ao som dele quando tinha quatro, cinco anos”.
The Beatles – A Hard Day’s Night (1964): “Junto com Help!, me ajudou a querer ser músico. Foram os discos dos Beatles que meus pais tinham que me fizeram ter vontade de entrar nessa”.
Led Zeppelin – Led Zeppelin IV (1971): “Foi o disco que me fez prestar mais atenção à guitarra. Com os Beatles, era mais ligado nos vocais”.
Van Halen – Van Halen I (1978): “Poderia citar qualquer um dos seis primeiros discos do Van Halen. Foram minha bíblia por anos. Aprendi todas as partes de guitarra. Também adorava Alex tocando sua bateria de um modo totalmente novo”.
Van Halen – Van Halen II (1979): “Comprei no dia em que foi lançado. Normalmente preferia os álbuns ao vivo das minhas bandas preferidas. Mas o Van Halen conseguia transmitir a energia dos palcos para o estúdio”.
Frank Marino & Mahogany Rush – Live (1978): “Conheci através do festival California Jam 2. Comprei este disco e o ouvia o tempo inteiro. Foi muito importante para minha formação. Um dos melhores ao vivo daquela época”.
Robin Trower – Bridge Of Sighs (1974): “Tanto Robin Trower quanto Frank Marino foram acusados de imitar Hendrix. Mesmo assim, gosto deles, precisamos de mais Hendrix! Bridge Of Sighs era maravilhoso”.
Pat Travers Band – Live! Go For What You Know (1979): “Além de Pat Travers, este disco tinha outro guitarrista, Pat Thrall. Eles fizeram muitos duelos aqui. Este álbum me salvou de virar outro clone de Yngwie Malmsteen”.
Todd Rundgren – Nearly Human (1989): “Gostaria de citar dez discos de Todd, mas fico com este. Ele tem uma faixa chamada Hawking, sobre Stephen Hawking. Vi a turnê americana do álbum e ele tocou esta música, chorei o tempo inteiro”.
The Ramones – Rocket To Russia (1977): “Meu pai comprou. Não conhecia os Ramones, mas amei assim que escutei. Conseguia tocar do início ao fim na guitarra, todas as músicas eram ótimas”
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.