Pular para o conteúdo principal

Neil Young chega aos 70 anos essencial e exemplar



Neil Young é um astro do rock peculiar em um meio artístico lotado de peculiaridades. Há quem diga que suas peculiaridades são tão peculiares que, muitas vezes, se sobrepõem a sua genialidade.
Maledicências à parte, foi graças às peculiaridades daa carreira e da personalidade do músico canadense que o consagraram como um ícone do rock e, provavelmente, como um pioneiro da chamada “independência artística''.

O termo é perigoso, pois embute uma série quase que infindável de interpretações. No entanto, a independência artística de mais de 50 ano de carreira deve ser celebrada e comemorada. Young é um exemplo de diversificação e ousadia artísticas em um mercado pautado por interesses diversos.

O guitarrista e cantor completou 70 anos de idade nesta semana ainda mantendo a aura de purista e de radical na busca da excelência musical e sonora, para não falar em campanhas pessoais fora do cenário artístico – politicamente ativo contra os reacionários e sectários, criou um dos eventos beneficentes mais respeitados da atualidade, o festival Bridge Benefit.

A busca pelo som perfeito e a cruzada pelo que podemos denominar de honestidade intelectual/artística se traduziram em uma empreitada arriscada e polêmica, mas que pode resumir, ainda que de forma imprecisa, a trajetória incomum e única de Young: o aparelho Pono, uma pretensa alternativa aos tocadores atuais de música digital.

Crítico ácido e contundente dos formatos existes de música digitial, em especial aos iPhones e iPods, da empresa Apple, colocou o seu lado inventor/empreendedor para funcionar e afirma ter criado um aparelho de reprodução sonora muitas vezes superior a qualquer um existente no mercado.

Visionário, inovador e apaixonado, o canadense costuma, de vez enquanto, ser subestimado e tachado de maluco – ou, no mínimo, “difícil''. Bobagem.
Young é uma usina de riffs de guitarra e de ideias. É um astro politicamente engajado em várias causas  e de invejável disposição para romper barreiras e incomodar os empresários da indústria cultural – e por isso é admirado por colegas pela sua propalada independência; fz o que quer, grava o que quer e quando quer.

Inquieto e pouco disposto a acomodações, não hesitou em abandonar o excelente Buffalo Springfield no final dos anos 60 para engatar uma carreira solo rica, embora “alternativa demais'' para a época, ao mesmoo tempo em que aderia aos projeto de amigos para catapultar o Crosby, Stills, Nash & Young, um marco do chamado country rock.

Foi bom, mas não durou muito. E assim se seguiu a trajetória pelos anos 70 e 80, com obras-primas intercaladas com bons trabalhos e outros bastante irregulares.
Entretanto, a independência artística e a busca por novidades e novos caminhos são as principais características de Young além da genialidade musical.

Mais do que fundamental, Neil Young é um artista essencial o rock, ainda mais em uma era insípida, inodora e incolor, onde a música segue desvalorizada diariamente. O clichê aqui é necessário: o guitarrista é um exemplo artístico, ainda que não queira ou não se importe com isso.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Guns N’ Roses: Surge primeira foto de W. Axl Rose em 18 meses

Agora já com uma volta de parte do núcleo que fez do GUNS N’ ROSES a maior banda do mundo no fim dos anos 80 e começo dos anos 90 99,999% confirmada, podemos afirmar com a mesma proporção de certeza QUE:

1 – O grupo será SIM headliner do Coachella em abril próximo;

2 – A banda fará uma apresentação ao vivo no programa televisivo JIMMY KIMMEL LIVE! no mesmo dia em que as atrações do Coachella serão afirmadas – 6 de janeiro, uma quarta-feira;

3 – Mesmo com Duff e Slash a bordo, a banda – que também terá DIZZY REED, RICHARD FORTUS e FRANK FERRER – tocará “2 ou 3 faixas” do álbum de 2008 da marca, “Chinese Democracy”;

4 – Existe SIM um esforço do empresário Doc McGhee para que o SKID ROW – agora sem vocalista – reúna sua formação clássica com o vocalista SEBASTIAN BACH para abrir os 25 shows da turnê estadunidense que começa
em maio. Seria um modo de a banda celebrar os 25 anos de seu maior sucesso de crítica e público, “Slave To The Grind”

5 – Prepare-se para comprar uma caça…