Pular para o conteúdo principal

Anthrax lança baralho inspirado em novo disco; ouça inédita

http://headbangervoice.blogspot.com.br


O ano de 2015 se foi e levou junto o lendário baixista e vocalista do Motörhead, Lemmy Kilmister, aos 70 anos de idade. A morte de Lemmy caiu como uma bomba nas redes sociais e inúmeros grandes nomes da música prestaram suas homenagens, seja em forma de mensagens no Twitter ou tatuagens. Uma das primeiras pessoas a noticiar o falecimento do baixista na internet foi Ozzy Osbourne, vocalista do Black Sabbath e amigo de longa data de Kilmister.
Em um emocionante tributo feito ao vocalista para o site da revista Rolling Stone, Ozzy relembrou ter conhecido Lemmy quando ele ainda estava no Hawkwind, banda anterior ao Motörhead, além de mencionar as parcerias musicais com este ícone do rock ‘n roll. Leia abaixo alguns trechos da homenagem e clique aqui para ler o tributo de Ozzy Osbourne completo (em inglês).
''Tudo o que eu tenho feito desde que soube da notícia [da morte do Lemmy] foi refletir sobre os momentos que passamos juntos. Ele era um cara legal, um bom amigo meu. Eu ainda estou em choque. Liguei para ele dois dias atrás, e eu não conseguia entender uma palavra do que ele estava dizendo. Ontem, eu recebi uma mensagem de seu assessor que dizia: “Lemmy está partindo, e ele quer ver alguns de seus amigos.” Minha esposa e eu estávamos prestes a sair de casa quando recebi a mensagem dizendo que ele se foi. Isso me abalou demais. Ficamos chocados. Ele deve ter sofrido por um tempo. Você sabe, ele tinha 70 anos. Ele viveu o estilo de vida do rock ‘n roll ao máximo, mas ainda assim é triste quando você perde um amigo dessa forma. […]
[…] Fizemos alguns shows na América do Sul com ele em Abril de 2015, eu me lembro da minha esposa comentando: “Você deveria ter visto o Lemmy. Ele perdeu muito peso e realmente não parece estar bem.” Eu constantemente mandava mensagens de texto a ele dizendo: “Se você precisar de alguma coisa, me ligue.” Eu estava dando uma olhada no meu celular e havia uma mensagem dele que dizia: “Obrigado por se importar.”
Eu sentirei muita falta dele. […] Ele era um ícone. Não há muitos ícones na música hoje. Quero dizer, você tem a Miley Cyrus, tudo bem, mas não há muitos ícones no jogo mais. E ele foi definitivamente um ícone. Um original. Ele viveu o estilo de vida. Sexo, drogas e rock ‘n roll, isso era o Lemmy.
E quer saber? Lá se vai um herói para mim. Ele era o meu herói. Ele era ótimo pra caralho, um bom amigo. Eu já sinto falta dele. Nunca vou esquecê-lo. E não acho que muita gente vá esquecer o Lemmy. […] Ele era apenas um cara muito legal, cara. Não houve tempo suficiente para ele.
Deus te abençoe, Lemmy. Estou muito honrado por tê-lo como uma parte da minha vida.''
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.