Pular para o conteúdo principal

Europe: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose

Imagem

Ele tomou toco de LEMMY, um pito de FREDDIE MERCURY e bateu um papo no banheiro com AXL. KURT COBAIN escreveu o nome dele numa parede, o DEF LEPPARD fez uma baita farra com ele. DAVID HASSELHOF o convidou para as filmagens  de Baywatch, RON JEREMY o convidou para a filmagem de um pornô... ele é o frontman do Europe, Joey Tempest, e essas são algumas de suas histórias.

Por Dave Ling, traduzido por Nacho Belgrande.

Como vocalista da banda sueca EUROPE, Joey Tempest (nome de batismo: Rolf Magnus Joakim Larsson, nascido a 19 de Agosto de 1963) foi do anonimato completo até a fama internacional da noite pro dia no inverno de 1986 por causa do agora clássico hit da banda The Final Countdown, que galopou paradas acima ao redor do mundo. O Europe, como banda existia desde o fim dos anos 70, mas não foi até... Countdown, e seu agora terrivelmente familiar gancho sintetizado, que eles conseguiram qualquer reconhecimento fora da Suécia. É uma história de sucesso que eles não conseguiram reproduzir – apesar de seu último disco, Last Look at Eden, marcar uma volta à velha forma.

PHYL LYNOTT

O Thin Lizzy fez um show secreto em Estocolmo em 1983. Eu tinha 20 anos de idade e o primeiro disco do Europe tinha acabado de ser lançado. Tony Reno (baterista original do Europe) e eu ficamos até depois. Eu estava fascinado por ver Phil sozinho no canto da pista de dança, parecendo muito triste e cabisbaixo. Um amigo meu, o fotógrafo Denis O’Regan que trabalhava muito com o Lizzy, depois explicou que era um dos truques de Phil para despertar o interesse das garotas. E funcionava, porque algumas mulheres chegaram nele. Muito nervoso, já que ele é um de meus heróis, eu fui e falei com ele sobre por que o Thin Lizzy nunca tinha tido um vocalista propriamente dito. Felizmente, Phil foi incrivelmente doce e amigável. Significou muito pra mim, é assim que eu sempre tento tratar os meus fãs.

LEMMY

Alguns de nós da banda o encontramos em sua segunda casa, o Rainbow (Bar & Grill na Sunset Strip em Los Angeles). Ele estava jogando fliperama, como sempre. Alguém disse: “Oi, somos da banda de rock Europe.” Lemmy nem olhou. Ele apenas respondeu: “O Europe não é uma banda de rock.” Que resposta legal. Ficamos absolutamente perplexos. Mas rimos disso e levamos na boa. Algumas semanas depois nos vingamos quando a revista Kerrang! resenhou um de nossos shows e disse que nós éramos ‘Mais altos que o Motörhead!'

FREDDIE MERCURY

Eu temo que tenhamos irritado Freddie. Estávamos no Townhouse Studios (em Londres), passando a bateria de Ian Haugland com o produtor Ron Nevison para o disco Out of This World (1988). Do nada aparece essa cara, meio vermelha e disse: “Vocês só podem estar brincando”. Freddie estava na sala ao lado da nossa, tentando gravar um lance de ópera, e não tínhamos fechado a porta direito. Ele disse: “Sua bateria está indo direto pra nossa mesa. Daria pra vocês maneirarem?” Muito cavalheiro, muito eloqüente, mas muito contrariado.


Imagem JOE ELLIOTT

O Europe foi convidado especial do Def Leppard  na turnê estadunidense de Hysteria. Era verão, Pour Some Sugar On Me estava no topo da parada, todos os lugares estavam lotados, e tivemos algumas das festas mais insanas da história do rock.
No pico de Oklahoma, apenas para poder entrar, você tinha que tirar a parte de cima da roupa – homens e mulheres. Também havia um porco gigante andando pelo local. Várias pessoas de várias profissões foram à festa... é melhor eu ter cuidado com o que digo.

Joe Elliott disse uma vez que o Europe é a banda mais louca pra farra que ele já conheceu. Enquanto a maioria dos músicos de Los Angeles começa a ficar estranho depois de três (cervejas) Coors Lites, para nós mandarmos 15 canecas em uma noite de sábado não é problema. Talvez seja um lance escandinavo.

AXL ROSE

Eu o conheci na transição dos anos 80 pros 90. Pra mim, o Guns N’ Roses era uma banda muito importante porque tinha um pé naquelas duas eras da música.

Tocamos duas noites no Budokan (em Tóquio) e por volta da mesma época, eles tocaram duas noites lá também. Fomos ao show deles e eles foram ao nosso. Nós ainda tínhamos aquela produção oitentista, um show muito grande, enquanto eles tinham apenas algumas luzes. Eles nem tinham um set list, eles só iam até o praticável de Steven Adler e resolviam o que seria tocado em seguida. Mas eles eram ótimos. Todo mundo acabou indo pro famoso bar Lexington Queen. Foi uma noite bizarra. A cerveja acabou de cara. Por volta das quatro ou cinco da manhã, a coisa saiu fora de controle. Eu encontrei Axl no banheiro e nós conversamos sobre o triângulo das Bermudas, dentre todas as coisas. Mas durante a maioria da noite ele sentou-se num canto sozinho vestindo um casaco de pele.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.