Pular para o conteúdo principal

Europe: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose

Imagem

Ele tomou toco de LEMMY, um pito de FREDDIE MERCURY e bateu um papo no banheiro com AXL. KURT COBAIN escreveu o nome dele numa parede, o DEF LEPPARD fez uma baita farra com ele. DAVID HASSELHOF o convidou para as filmagens  de Baywatch, RON JEREMY o convidou para a filmagem de um pornô... ele é o frontman do Europe, Joey Tempest, e essas são algumas de suas histórias.

Por Dave Ling, traduzido por Nacho Belgrande.

Como vocalista da banda sueca EUROPE, Joey Tempest (nome de batismo: Rolf Magnus Joakim Larsson, nascido a 19 de Agosto de 1963) foi do anonimato completo até a fama internacional da noite pro dia no inverno de 1986 por causa do agora clássico hit da banda The Final Countdown, que galopou paradas acima ao redor do mundo. O Europe, como banda existia desde o fim dos anos 70, mas não foi até... Countdown, e seu agora terrivelmente familiar gancho sintetizado, que eles conseguiram qualquer reconhecimento fora da Suécia. É uma história de sucesso que eles não conseguiram reproduzir – apesar de seu último disco, Last Look at Eden, marcar uma volta à velha forma.

PHYL LYNOTT

O Thin Lizzy fez um show secreto em Estocolmo em 1983. Eu tinha 20 anos de idade e o primeiro disco do Europe tinha acabado de ser lançado. Tony Reno (baterista original do Europe) e eu ficamos até depois. Eu estava fascinado por ver Phil sozinho no canto da pista de dança, parecendo muito triste e cabisbaixo. Um amigo meu, o fotógrafo Denis O’Regan que trabalhava muito com o Lizzy, depois explicou que era um dos truques de Phil para despertar o interesse das garotas. E funcionava, porque algumas mulheres chegaram nele. Muito nervoso, já que ele é um de meus heróis, eu fui e falei com ele sobre por que o Thin Lizzy nunca tinha tido um vocalista propriamente dito. Felizmente, Phil foi incrivelmente doce e amigável. Significou muito pra mim, é assim que eu sempre tento tratar os meus fãs.

LEMMY

Alguns de nós da banda o encontramos em sua segunda casa, o Rainbow (Bar & Grill na Sunset Strip em Los Angeles). Ele estava jogando fliperama, como sempre. Alguém disse: “Oi, somos da banda de rock Europe.” Lemmy nem olhou. Ele apenas respondeu: “O Europe não é uma banda de rock.” Que resposta legal. Ficamos absolutamente perplexos. Mas rimos disso e levamos na boa. Algumas semanas depois nos vingamos quando a revista Kerrang! resenhou um de nossos shows e disse que nós éramos ‘Mais altos que o Motörhead!'

FREDDIE MERCURY

Eu temo que tenhamos irritado Freddie. Estávamos no Townhouse Studios (em Londres), passando a bateria de Ian Haugland com o produtor Ron Nevison para o disco Out of This World (1988). Do nada aparece essa cara, meio vermelha e disse: “Vocês só podem estar brincando”. Freddie estava na sala ao lado da nossa, tentando gravar um lance de ópera, e não tínhamos fechado a porta direito. Ele disse: “Sua bateria está indo direto pra nossa mesa. Daria pra vocês maneirarem?” Muito cavalheiro, muito eloqüente, mas muito contrariado.


Imagem JOE ELLIOTT

O Europe foi convidado especial do Def Leppard  na turnê estadunidense de Hysteria. Era verão, Pour Some Sugar On Me estava no topo da parada, todos os lugares estavam lotados, e tivemos algumas das festas mais insanas da história do rock.
No pico de Oklahoma, apenas para poder entrar, você tinha que tirar a parte de cima da roupa – homens e mulheres. Também havia um porco gigante andando pelo local. Várias pessoas de várias profissões foram à festa... é melhor eu ter cuidado com o que digo.

Joe Elliott disse uma vez que o Europe é a banda mais louca pra farra que ele já conheceu. Enquanto a maioria dos músicos de Los Angeles começa a ficar estranho depois de três (cervejas) Coors Lites, para nós mandarmos 15 canecas em uma noite de sábado não é problema. Talvez seja um lance escandinavo.

AXL ROSE

Eu o conheci na transição dos anos 80 pros 90. Pra mim, o Guns N’ Roses era uma banda muito importante porque tinha um pé naquelas duas eras da música.

Tocamos duas noites no Budokan (em Tóquio) e por volta da mesma época, eles tocaram duas noites lá também. Fomos ao show deles e eles foram ao nosso. Nós ainda tínhamos aquela produção oitentista, um show muito grande, enquanto eles tinham apenas algumas luzes. Eles nem tinham um set list, eles só iam até o praticável de Steven Adler e resolviam o que seria tocado em seguida. Mas eles eram ótimos. Todo mundo acabou indo pro famoso bar Lexington Queen. Foi uma noite bizarra. A cerveja acabou de cara. Por volta das quatro ou cinco da manhã, a coisa saiu fora de controle. Eu encontrei Axl no banheiro e nós conversamos sobre o triângulo das Bermudas, dentre todas as coisas. Mas durante a maioria da noite ele sentou-se num canto sozinho vestindo um casaco de pele.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Guns N’ Roses: Surge primeira foto de W. Axl Rose em 18 meses

Agora já com uma volta de parte do núcleo que fez do GUNS N’ ROSES a maior banda do mundo no fim dos anos 80 e começo dos anos 90 99,999% confirmada, podemos afirmar com a mesma proporção de certeza QUE:

1 – O grupo será SIM headliner do Coachella em abril próximo;

2 – A banda fará uma apresentação ao vivo no programa televisivo JIMMY KIMMEL LIVE! no mesmo dia em que as atrações do Coachella serão afirmadas – 6 de janeiro, uma quarta-feira;

3 – Mesmo com Duff e Slash a bordo, a banda – que também terá DIZZY REED, RICHARD FORTUS e FRANK FERRER – tocará “2 ou 3 faixas” do álbum de 2008 da marca, “Chinese Democracy”;

4 – Existe SIM um esforço do empresário Doc McGhee para que o SKID ROW – agora sem vocalista – reúna sua formação clássica com o vocalista SEBASTIAN BACH para abrir os 25 shows da turnê estadunidense que começa
em maio. Seria um modo de a banda celebrar os 25 anos de seu maior sucesso de crítica e público, “Slave To The Grind”

5 – Prepare-se para comprar uma caça…

Ratos de Porão: 'Crucificados Pelo Sistema' tem relançamento especial

O álbum de estreia do Ratos de Porão, Crucificados pelo Sistema, lançado originalmente em 1984, tem o relançamento previsto para Março deste ano nos formatos LP e CD.

A Hearts Bleed Blue (HBB), ao lado das gravadoras Läjä Records e Bruaki!, será responsável pela nova edição do clássico que, com a capa na cor preta, tem versão especial em vinil 180 gramas. O LP ainda vem acompanhado de um EP 7 polegadas inédito, com seis músicas, gravado ao vivo em 1983 no Napalm, lendária casa de show de São Paulo.

Já é possível encontrar o relançamento de Crucificados pelo Sistema em pré-venda, nos dois formatos, através do site da HBB Store. Na loja da gravadora também está à venda o documentário "30 Anos Crucificados Pelo Sistema", que conta a história da gravação do álbum de estreia do Ratos de Porão.

Peso Resistente: a discografia comentada do Motörhead

Poucas figuras encarnaram com tanta propriedade o espírito indômito do rock and roll quanto Ian “Lemmy” Kilmister. O líder, cantor e baixista do Motörhead, nascido no dia 24 de dezembro de 1945, em Londres, chegou a sete décadas de vida com a popularidade intacta, embora não se pudesse dizer o mesmo de sua saúde. Após lançar em 2015 o o disco Bad Magic, com o Motörhead, Lemmy morreu no dia 28 de dezembro, vítima de um câncer.

Foram 40 anos de Motörhead e uma vasta discografia cheia de ótimos álbuns que valem a pena ser revisitados. Há muitas outras boas canções além de “Ace of Spades” e “Overkill”, duas das mais conhecidas pelo grande público. Lemmy nunca gostou de rótulos – sempre falou que apenas tocava rock and roll –, só que os trabalhos clássicos mostrados aqui ajudaram a moldar algumas das mais importantes facetas do heavy metal moderno.

Overkill (1979)
O segundo disco do Motörhead trazia a formação mais feroz e conhecida da banda – além de Lemmy, também estavam “F…