Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

De volta às orquestras

O Scorpions se apresentará com a German Film Orchestra Babelsberg durante o Berlin Classic Open Air. O festival, que ocorre entre 7 e 12 de julho, conta com atrações variadas dentro do contexto. Óperas italianas, alemãs e crossovers com artistas do mundo do Rock, Pop, Jazz e Soul. Klaus Meine e companhia devem executar uma série de clássicos em parceria com os músicos clássicos. A banda já havia trabalhado nesse formato para o álbum Moment Of Glory, lançado em 2000.

Metallica segue universal

O Metallica renovou contrato com a Universal Music para distribuição mundial de seu catálogo e novo material. O acordo exclui apenas os territórios norte-americano e japonês. A companhia representa a banda desde 1988.

“O Metallica é um dos maiores vendedores de discos de todos os tempos. Temos trabalhado muito bem em conjunto nas últimas três décadas”, declarou Paul Connolly, presidente da organização.

O grupo comandado por James Hetfield e Lars Ulrich já lançou nove álbuns de estúdio, três ao vivos, 5 EPs, 24 videoclipes e 45 singles. A banda vendeu em torno de 100 milhões de cópias em todo o planeta. Em 2009, o Metallica era o quarto artista com mais vendas desde que o Soundscan foi instituído como órgão controlador dos números do mercado musical, em 1991. Atualmente, o quarteto prepara um novo disco.

Velhos demais para as companhias

Em entrevista à Classic Rock Revisited, Dan McCafferty falou sobre as dificuldades do Nazareth em colocar um novo trabalho no mercado antes dos últimos plays, The Newz e The Dogz.

“Continuamos escrevendo músicas desde antes do The Newz, mas não conseguíamos gravar. As gravadoras falavam que estávamos velhos para fazer um álbum. Era sempre um comentário negativo. Decidimos que não era o caso e o fizemos, o que nos satisfez. Realmente gostamos desses discos, pois as canções são diversificadas, mas muito Nazareth, mesmo que Pete (Agnew) e eu não tenhamos nos envolvido tanto nas composições”.

A dynastya sueca

Dynazty – Knock You Down [2011]

Há dois anos, os suecos do Dynazty surgiram com o debut, Bring The Thunder. O quarteto enveredava pelos caminhos mais pesados do Hard Rock, lembrando bandas como Skid Row, Ratt e Mötley Crüe. A fórmula foi mantida em Knock You Down, novo álbum, mesclando riffs pesados e boas melodias, como fica claro desde a faixa de abertura, “Sleeping With the Enemy”. A cadenciada “Get It On” possui sangue norte-americano total, com seu estilo de arena, pronto para fazer sucesso com a platéia em apresentações. A agitada e direta “Mr. Money” é outro destaque, com suas paradinhas e backing vocals muito bem executadas.

Vale destacar que nenhuma faixa ultrapassa os quatro minutos e meio, fazendo com que o play flua de maneira agradável para os adeptos do gênero, sem enrolações e presepadas. O groove de “Throne Of China” convida o ouvinte a bangear. A sensação agradável se mantém em “The Devil’s Playground” e sua pegada à la KISS fase Hot in the Shade. A mais…

A fronteira platinada

The Final Frontier, o mais recente álbum de estúdio do Iron Maiden, atingiu a marca de 40 mil cópias vendidas no Brasil, o que corresponde a um disco de platina. O álbum é o 15º gravado em estúdio pela banda inglesa e foi lançado pela EMI em agosto de 2010.

O Iron Maiden tem mais de 85 milhões de álbuns vendidos no mundo. No Brasil, The Final Frontier foi o álbum mais vendido na Saraiva, Livraria Cultura e FNAC durante as duas primeiras semanas do lançamento, além de atingir também o primeiro lugar em outros 28 países.

Este ano, o Brasil esteve na rota da turnê mundial de The Final Frontier. O Iron Maiden passou por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belém, Recife e Curitiba a bordo do Boeing Ed Force One.

Halford lançando show gravado no Japão

A Metal God Entertainment e Rob Halford o lançamento de Halford Live At Saitama Super Arena, para 10 de outubro. O DVD/Blu-ray traz o Metal God acompanhado de sua banda solo, que conta com os guitarristas Roy Z e "Metal" Mike Chlasciak, além do baixista Mike Davis e o baterista Bobby Jarzombek.

O concerto foi filmado em HD e conta com a tecnologia 5.1 Surround Sound. A versão em Blu-ray trará filmagens exclusivas e comentários de Rob. O tracklist é o seguinte:

01. Resurrection
02. Made In Hell
03. Locked And Loaded
04. Drop Out
05. Made Of Metal
06. Undisputed
07. Nailed To The Gun
08. Golgotha
09. Fire And Ice
10. Green Manalishi (With The Two-Pronged Crown)
11. Diamonds And Rust
12. Jawbreaker
13. Cyber World
14. Like There’s No Tomorrow
15. Thunder And Lightning

Bucho de aço

Michael Anthony bateu um papo com o Ultimate Classic Rock sobre vários assuntos. Confira alguns trechos.

Entre o Van Halen e o Chickenfoot, você considerou gravar solo?

Cheguei a preparar algo. As pessoas perguntavam “Ei, porque não forma uma banda e faz alguns shows?”. Não queria fazer como Roth, que juntava um grupo e saía tocando Van Halen, seria ridículo. Quando saí em turnê com Sammy, paralelamente organizava essa coisa chamada Mad Anthony Express. Mas na seqüência iniciamos o projeto Planet US, que foi deixado de lado para a reunião do Van Halen em 2004. Vendo como as coisas aconteceram, talvez devêssemos ter ficado com o Planet US, já que as coisas não ocorreram harmoniosamente.

Só aceitei fazer aquela excursão porque se fosse a última da banda e eu não estivesse lá, me culparia pelo resto da vida. Mas Eddie não me queria lá por me considerar um “traidor”, por ter tocado com Sammy fora do Van Halen. Mas não queria ficar parado, como eles.

Verdade? Achei que eles esta…

Encontro para a posteridade

O baterista Nick Mason falou sobre um momento marcante da carreira do Pink Floyd, em entrevista ao Wall Street Journal. A banda estava gravando seu primeiro álbum, The Piper At the Gates of Dawn, no Abbey Road Studios. Na mesma época, os Beatles registravam o seminal Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band.

“Eles eram como figuras divinas para nós. Foram extremamente gentis quando nos encontramos, mas estavam em um espaço diferente do nosso, algo inalcançável”, lembrou o músico.

Questionado mais uma vez sobre a possibilidade de reunião do grupo, Nick manteve as esperanças. “Espero que alguém influente o suficiente consiga convencer Roger (Waters) e David (Gilmour). Eu estou com as malas prontas. Os obstáculos são a necessidade de completa independência de um e a negação em ser comandado do outro”.

Down lançará 4 EPs

Kirk Windstein revelou durante a última edição do festival francês Hellfest que o Down planeja lançar 4 EPs simultaneamente. “Eles serão todos diferentes. Temos muitos elementos em nosso som, então cada um terá suas características próprias. Um mais Hard, outro mais Heavy, outro Doom e um mais melancólico. Será um pouco de cada”.

Quando perguntado o motivo de lançar essas músicas em separado ao invés de um disco, explicou: “A indústria musical está ruim. Ninguém mais compra nada. Estamos tentando algo diferente, que fique mais barato. As pessoas querem tudo de graça. Então, menos músicas é mais barato. Mesma coisa com downloads, que serão ainda menos caros”.

Uma dupla com problemas

Em entrevista à Rolling Stone, Roger Daltrey comentou os recentes problemas que atingiram ele e Pete Townshend. Enquanto o vocalista passou por sérios problemas de garganta, o guitarrista luta há anos contra distúrbios auditivos que parecem ter chegado a um ponto irreversível.

Daltrey admite que lutou com sua voz nas recentes turnês. Ele alega que parte da razão foi seu próprio descuido. “Senti a pressão. Estava tendo terríveis problemas em ouvir o que cantava, sofri muito. Não sabia que se você suava tanto quanto acontece comigo toda noite de show, seu corpo fica sem sais. Então fiquei muito doente. Chegou a ponto em que quase tive que ser hospitalizado com sérios problemas”.

Enquanto isso, Townshend segue tratando seu problema, o que fez com que Roger resolvesse sair em tour sozinho. “Ele está passando por um momento terrível. Adoraria estar no palco com Pete. Mas ao mesmo tempo não quero que ele destrua sua audição de vez. Seria uma idiotice, ele é um compositor”.

Megadeth no SWU

O Megadeth foi confirmado como atração do SWU Festival 2011. O evento acontece nos dias 12, 13 e 14 de novembro em Paulínia, São Paulo. Também foram confirmadas apresentações de Peter Gabriel e artistas insignificantes.

Ringo no Brasil

Ringo Starr fará seus primeiros shows no Brasil em novembro. As datas confirmadas são:

10/11 Porto Alegre – Gigantinho
12 e 13/11 São Paulo – Credicard Hall
15/11 Rio de Janeiro – Citibank Hall
16/11 Belo Horizonte – Chevrolet Hall
18/11 Brasília – Centro de Convenções Ulysses Guimarães
20/11 Recife – Chevrolet Hall

Atualmente sua All-Starr Band conta com as seguinte feras: Rick Derringer (guitarra), Richard Page (baixo), Wally Palmer (guitarra, gaita), Edgar Winter (teclados, saxofone), Gary Wright (teclados) e Gregg Bissonette (bateria).

Lemmy: "as pessoas se tornam melhores quando morrem"

Incomoda-lhe o fato de que o Metallica conseguiu fama e fortuna e o Motörhead não?

Lemmy:
"É simplesmente uma questão de sorte marcada. Você tem que estar no lugar certo e na hora certa. Chegamos atrasados demais para a primeira invasão britânica e cedo demais para a segunda".

Você se tornou mais popular nos Estados Unidos por ser Lemmy do que pelo Motörhead em si.

Lemmy:
"Sou grato pelo que tenho, não reclamo. Acho que me tornei mais popular por não decepcionar as pessoas. A pior coisa é você admirar alguém e essa pessoa lhe desapontar. Você vai conhecer alguém pensando que é uma pessoa excelente e ela se revela como alguém completamente idiota, isso é horrível".

Nem Motörhead nem Lemmy fizeram concessões.


Lemmy: "Concessões são idiotas. A mais divertida foi quando tentaram fazer com que cortássemos o cabelo. Um empresário antigo achava que poderíamos alcançar uma audiência maior se fizéssemos isso. Disse 'então é isso, acho que não vamos alcançar …

Jimi Hendrix: amigo diz que "vinho tinto" causou sua morte

Vinho tinto é geralmente uma bebida elogiada, onde muitos dizem que é uma espécie de antioxidante saudável ​​para o coração e que realmente faz bem para qualquer um. Mas de acordo com o médico que tentou salvar Jimi Hendrix na noite em que o lendário guitarrista morreu, ele disse que a causa de sua morte Hendrix foi devido ao vinho tinto.

Um amigo do guitarrista, Meic Stevens, explicou que Hendrix, se engasgou. Falando abertamente, pela primeira vez desde a morte de Hendrix, Stevens disse que o grande guitarrista misturou vinho tinto com cerveja e bebeu. "Eu estava com Jimi Hendrix na noite em que morreu", disse ele ao Daily Mail. "Ele estava bebendo vinho tinto comigo, algo que nunca havia bebido antes".

"...Ele parecia bem. Ele parecia estar bem. Mas no dia seguinte acordei tarde e alguém telefonou e me disseram que Jimi estava morto. Aparentemente ele se engasgou com seu próprio vômito".

Deep Purple: "Ninguém pode substituir Blackmore", diz Morse

Em entrevista ao Music Radar, Steve Morse falou sobre como é ser o guitarrista que está há mais tempo no Deep Purple.

Quando você entrou na banda, imaginou que isso fosse acontecer? Você chegou a tremer com a responsabilidade de substituir Ritchie Blackmore?

Passei por algo assim antes, quando entrei no lugar de Kerry Livgren, do Kansas. Então, estava um pouco preparado. Você já entra nesse tipo de situação sabendo que uma parte dos fãs irá lhe odiar, não importa o quanto toque bem. Muitos gostam da banda de apenas um modo. Não interessa quem é o outro cara, as músicas que façam ou se ele é melhor ou pior que o anterior. Mas entendo isso. Quando entrei no Deep Purple, vi uma chance de trazer algo novo. Como fã, senti que eles precisavam. Quando me convidaram, eu simplesmente nunca os tinha visto ao vivo. Eles tocavam por todo o mundo, mas muito pouco nos Estados Unidos. Não sabia como seria, se estavam fazendo coisas novas ou apenas vivendo do passado.

Meu manager, Frank Sol…

129 mil doletas para o Japão

O KISS e a MINI USA arrecadaram 129 mil dólares durante o leilão online dos quatro Mini Coopers personalizados. A renda será destinada à UNICEF, que ajudará as vítimas dos recentes desastres naturais do Japão.

E a iniciativa não para por aqui. Novas réplicas dos veículos serão comercializadas com o mesmo objetivo através do site da companhia e revendedoras autorizadas.

Cada vez mais próximo da realidade

O guitarrista Scott Ian colocou a seguinte mensagem no Twitter:

“A masterização de Worship Music começou. O passo final!!! Trabalhamos tanto no ano passado que ouvi-lo pronto é demais!”.

O tão aguardado novo álbum do Anthrax tem lançamento marcado para 13 de setembro.

Luz... câmera... Tião!

Sebastian Bach filma hoje dois videoclipes para faixas do álbum Kicking & Screaming.

“Nick Sterling (guitarra) e Bobby Jarzombek (bateria) voaram para Hollywood comigo. Os vídeos serão dirigidos por Devin DeHaven, da Fortress Television. Serão três vídeos, mas um deles terá a maior parte da filmagem ao vivo. Será um dia divertido. Fico feliz que a Frontiers Records esteja cumprindo suas promessas e tenhamos clipes para esse disco” declarou o músico.

Cantor sai do White Wizzard de novo!

O vocalista Wyatt Anderson deixou o White Wizzard pela segunda vez. “Ele nos escreveu três semanas antes da turnê e disse que não queria excursionar por questões pessoais, de saúde e família. Isso logo após estar tudo agendado. Logo explicaremos melhor. Por hora, perguntem a ele os motivos”, postou a banda em seu Facebook

A tour atual, em parceria com o Forbidden, está sendo feita com Mike Germino, ex-Cellador, nos vocais.

O substituto

Em entrevista ao Music Radar, Steve Morse falou sobre como é ser o guitarrista que está há mais tempo no Deep Purple.

Quando você entrou na banda, imaginou que isso fosse acontecer? Você chegou a tremer com a responsabilidade de substituir Ritchie Blackmore?

Passei por algo assim antes, quando entrei no lugar de Kerry Livgren, do Kansas. Então, estava um pouco preparado. Você já entra nesse tipo de situação sabendo que uma parte dos fãs irá lhe odiar, não importa o quanto toque bem. Muitos gostam da banda de apenas um modo. Não interessa quem é o outro cara, as músicas que façam ou se ele é melhor ou pior que o anterior. Mas entendo isso. Quando entrei no Deep Purple, vi uma chance de trazer algo novo. Como fã, senti que eles precisavam. Quando me convidaram, eu simplesmente nunca os tinha visto ao vivo. Eles tocavam por todo o mundo, mas muito pouco nos Estados Unidos. Não sabia como seria, se estavam fazendo coisas novas ou apenas vivendo do passado.

Meu manager, Frank …

Vivendo o momento, mesmo que com o passado

Em entrevista ao The Globe and Mail, Peter Frampton falou sobre a atual excursão, que comemora os 35 anos do mais que clássico Frampton Comes Alive.

Nos anos 1970, Eric Clapton resistia à idéia de fazer um álbum ao vivo. Seu argumento era que um show devia ser apenas daquela noite. Realizando a turnê de 35 anos de Frampton Comes Alive, você mostra que não é adepto dessa idéia?

Estamos fazendo o setlist daquela noite em Winterland, San Francisco, mas não estamos o recriando. Foi apenas aquela noite, diria a mesma coisa que Eric.

Então você não toca nota por nota como no original.

Não. Nem que me pagassem um bilhão de dólares conseguiria fazer isso (risos). Curto o momento, sempre foi assim. Sou melhor no take um quando estou em estúdio.

Malhando e explodindo

Em entrevista ao The Province, Paul Stanley lembrou que não precisa se exercitar durante as turnês. “O show é a malhação definitiva. Não consigo reproduzir aquilo em uma rotina de exercícios diária. O que faço no palco é movido pela adrenalina. Seria impossível fazer aquilo em um treino”.

O guitarrista e vocalista falou sobre as pirotecnias e comparou com os primórdios da banda. “Temos os melhores trabalhando para nós. Quando começamos era crueza pura, para dizer o mínimo. Não havia pirotécnicos licenciados, ia qualquer um lá, explodia tudo e ganhava um salário. Passou muito tempo desde então”.

O que também mudou foi a platéia, que abrange diferentes gerações atualmente. Famílias inteiras comparecem aos shows para ver a banda tocando os clássicos de sempre. “Funciona de forma quase tribal. Alguns shows de Rock são restritos a determinadas idades, Você não quer ver seu irmãozinho ou pai por lá. Conosco funciona como uma espécie de ritual de passagem, os pais levam os fi…

Megadeth: box de "Peace Sells..." em edição de luxo

O Megadeth acaba de divulgar a pré-venda do álbum "Peace Sells... But who is buying?" remasterizado em versão comemorativa ao seu aniversário de 25 anos. O box está disponível em algumas versões, incluindo:

Um show de 1987, remasterizado e inédito.
O álbum em versão digital.
Uma versão em cinco discos e 3 LPs.
Um livro de fotos.


A pré-venda está disponível no link abaixo:
http://www.amazon.com/gp/product/B004WN96ME/ref=as_li_ss_tl?ie=UTF8&tag=emicatal...

Down: Rex Brown anuncia oficialmente que deixa a banda

O baixista Rex Brown confirmou oficialmente que saiu do Down. Em entrevista ao 8countnews.com, o músico declarou:

“Estou fora da banda. As coisas chegaram a um ponto em que eles estão melhores como estão agora. Eles contam com Patrick Bruders (Crowbar) e eu perdi minha paixão. Houve outros problemas e acabou sendo melhor nos s

Super famosos!

O baterista do Anvil, Robb Reiner, falou com o Metalshrine sobre o atual status da banda. Confira alguns trechos do bate-papo.

Vocês sentiram muita pressão para gravar o novo álbum, considerando todo o sucesso do filme?

Não, pois já tínhamos o material em mãos antes. Queríamos fazer o som do Anvil, fiel à nossa história. Estávamos mais ansiosos pelo desafio que sentindo a pressão. Não tínhamos escolha e acho que definitivamente seremos considerados a partir de agora.

Como vocês acabaram trabalhando com o produtor Bob Marlette?

Foi sugestão do nosso manager. Sabíamos que Chris Tsangarides não poderia nos levar a outro nível. Ele é um grande produtor e meu amigo, mas não era o cara certo. Nos deram uma lista e escolhemos Bob. Foi uma grande escolha, ele é um ótimo produtor, além de compositor. Ele se importa em fazer as coisas certas.

Depois que tudo isso aconteceu, vocês sentiram mais atenção das gravadoras? Como foram parar na Steamhammer?

Somos super famosos agora! O Anvil se…

Confie no Doutor Ozzy!

No próximo dia 11 de outubro, a Grand Central Publishing lança Trust Me, I’m Dr. Ozzy: Advice From Rock's Ultimate Survivor. O livro, escrito por Ozzy Osbourne em parceria com Chris Ayres, reúne algumas das melhores edições de sua coluna semanal no The Sunday Times, de Londres.

Unindo bom humor e memórias de sua vida pessoal, Ozzy aconselha leitores a lidar com seus próprios problemas. Também serão incluídas na publicação, respostas a celebridades, além de respostas com embasamento médico.

Em busca do álbum inesquecível

Em entrevista ao RockEyez, Lizzy Borden falou sobre a possibilidade de novo material. O último álbum da banda, Appointment With Deat, saiu em 2007.

“Comecei a compor novas músicas há muito tempo. Não estou tão ansioso. O disco que tenho em mente é tão único que é difícil de descrever. Sinto que no último fechamos um ciclo dentro de nossas influências. Agora é o momento de criar algo novo, então estou concentrado nisso. Quero dez incríveis canções. Não sei exatamente no que vai dar, mas quero o trabalho mais pesado que já fizemos. No momento temos que excursionar, mas esperamos trazer novidades logo. Está ficando muito interessante, mas ainda estou procurando pelo produtor ideal”.

Queensrÿche já prepara novo álbum

Em entrevista à Loud Magazine, da Austrália, o vocalista Geoff Tate revelou que o Queensrÿche já está trabalhando no sucessor de Dedicated To Chaos.

“Começamos as sessões há um mês, mais ou menos. Passamos de um projeto para o outro rapidamente. No mundo atual, é preciso estar sempre trazendo novidades. E gostamos disso. Na verdade, é difícil nos manter fora do estúdio (risos)”.

Johnny Depp sobe ao palco com Alice Cooper

Alice Cooper postou essa foto em seu Facebook. Trata-se de Johnny Depp esperando para subir ao palco no show em Londres, realizado hoje. O superstar juntou-se à banda da titia para executar os clássicos "I'm Eighteen" e "School's Out".

Cinderella em vinil

O último álbum ao vivo do Cinderella está ganhando edição especial em vinil. Live At The Mohegan Sun será lançado pela Bologna Rock City Records em evento especial na cidade de Nova York dia 11 de setembro. Um dia mais tarde, será disponibilizado para o público em geral.

A edição é limitada em 500 cópias numeradas à mão. Os discos estarão disponíveis nas cores preta, branca e rosa. O tracklist é o seguinte:

‘Intro’
‘Night Songs’
‘The Last Mile’
‘Somebody Save Me’
‘Heartbreak Station’
‘Coming Home’
‘Shelter Me’
‘Nobody's Fool’
‘Gypsy Road’
‘Don't Know What You Got (Till It's Gone)’
‘Shake Me’
‘Fallin Apart At The Seams’
‘Push Push’
‘Still Climbing’

Retorno em grande estilo

O Great White apenas aguarda o retorno de seu frontman, Jack Russel, para trabalhar em um álbum ao vivo. A informação foi confirmada pelo guitarrista Michael Lardie, em entrevista ao BCLocalNews.com. Enquanto isso, a banda segue em turnê com Terry Ilous (XYZ) no microfone.

“Jack está determinado a voltar, mas ele quer ficar cem por cento antes. Ele está dando todo suporte para Terry enquanto isso. Ele passou por muita coisa, será uma grande história do Rock quando ele retornar”.

Preparando a volta ao ninho em definitivo

Em recente entrevista ao jornal alemão Der Tagesspiegel, Don Henley declarou que o álbum que marca a comemoração dos 40 anos dos Eagles seria um bom marco para a banda encerrar atividades. “Não acho que iremos muito mais longe, seria um bom momento de parar”.

Mesmo assim, o líder do grupo fez questão de deixar claro que o grupo ainda se diverte e se sente criativo. “A motivação é a popularidade. Espero que ainda possamos escrever mais músicas. Quero que o melhor trabalho seja o próximo. Mas sendo ou não, ainda posso sair da cama pela manhã”.

O guitarrista Joe Walsh, também declara o prazer de tocar com os velhos companheiros após tanto tempo. “Realmente nos divertimos juntos. Toco com outras bandas, mas há algo especial quando estou com os Eagles”.

Megadeth: como foi a volta de Dave Ellefson ao grupo

Em entrevista à Lithium Magazine, David Ellefson falou sobre as coisas que precisou deixar para trás para se ambientar em seu retorno ao Megadeth.

“Mentalmente me esforcei para não pensar nas coisas que ficaram para trás. Não dá para mudar o passado, só podemos aprender e seguir em frente. Não aprender com os erros do passado é o maior erro que alguém pode cometer na vida, pois nenhum de nós é perfeito. Certamente bandas de Rock são muito próximas devido ao aspecto criativo. Mas há o lado dos negócios. O tempo que você passa em aviões, ônibus e camarins é quando parece que se está confinado, sacrificando seu espaço pessoal pelo grupo. Penso que uma das coisas legais do tempo que fiquei fora foi justamente desenvolver outros lados da minha vida. Quando voltei, senti que tinha aberto minhas asas um pouco mais, podendo voltar a fazer sacrifícios pessoais pelos outros. Essa mentalidade de time é algo que melhorou muito no último ano”

Edguy: novo álbum é "memorável" e "nobre"

Há algumas semanas atrás alguns jornalistas tiveram a chance de ouvir algumas músicas da nova obra-prima do EDGUY: “Age Of The Joker” (nas lojas em 26 de agosto). Abaixo você pode ler o que os jornalistas têm a dizer logo depois de ouvir essa jornada musical:

“Suave e pesado, memorável e nobre. ‘Age Of The Joker’ é de fato uma ‘era’ cheia de vivacidade.” - Rock Hard (Ger) / Andreas Stappert

“Momentos surpreendentes e célebres seguem um após o outro. O EDGUY enfiou o dedo na cara do mundo do metal e gravou o álbum que eles queriam. Legal!” - EdMetal Hammer (Ger) / Marc Halupczok

“O EDGUY seguiu o Blues – variadade é a prioridade principal em ‘Age Of The Joker.” - Heavy (Ger) / Martin Römpp

“Um álbum extremamente diversificado, perfeito nos dois sentidos: alta aspiração musical e entretenimento.” - Rock It (Ger) / Andreas Schöwe

“O EDGUY domina com honra o equilíbrio entre músicas com mais aspiração ou mais apelativas. Uma grande exibição de fogos de artifício com refrões atra…

Metallica: "Bandeirão do Cliff" no Rock in Rio

A comunidade "Metallica Brasil" no orkut está organizando uma campanha para levar ao Rock In Rio uma bandeira de 200m² para ser levantada pelo público durante o show da banda, que é headliner no dia 25 de setembro.

Na comunidade da bandeira, estão disponíveis dados para quem queira colaborar financeiramente ou de qualquer outro modo para que isto aconteça.

O projeto possui apoio e aprovação da organização do festival.

Morbid Angel: "Illud Divinus Insanus" em 61º na Alemanha

Foi anunciado no site oficial do MORBID ANGEL  que o novo álbum "Illud Divinum Insanum" conquistou a 61ª posição no chart da Alemanha (parada musical) com apenas uma semana de lançamento.

Eis o desempenho do disco em outras paragens:

USA Billboard Top current albums: #127
Top New Artists / Heatseekers: #3
Independent Current Albums: #24
Current Hard Music Albums: #13
Top Hard Music Albums: #15
Top Current Rock Albums: #48
UK # 37 Top 50 Independent albums
UK #18 Top 40 Rock chart
Finland - #18 on national charts & #1 on record store charts
Dutch Alternative Charts, week 24: # 30, 1st week
Danish Album chart #49
Norway Top 100 #85

Voltando às boas

O Rock Music Star conversou com Derek St. Holmes, que após muitos anos, voltou a trabalhar com Ted Nugent. O vocalista e guitarrista falou sobre o que o levou a essa reunião.

“Recebi uma ligação do manager de Ted. Ele falou que estava tentando resgatar a vibe Classic Rock, dos 1970s e perguntou se não estaria interessado em voltar. Amo Ted e o material que escrevemos juntos. Não entendo até hoje como não entramos ainda no Hall of Fame pelo primeiro álbum”.

O músico exaltou a importância da parceria para ambos.

“Não gosto de usar essa comparação, mas é como Mick Jagger e Keith Richards. Quando Ted e eu nos juntos, é como se mágica acontecesse. Sempre foi assim. Ele gosta de ser um lobo solitário, fazer as coisas sozinho e eu compreendo. Mas não dá para negar que conseguimos algo diferente trabalhando em dupla. Estou muito empolgado com essa volta, já fizemos dois shows e hoje ele é um cara muito mais gentil e simpático. Me senti como da primeira vez que entrei em sua vid…

Basta estar todo mundo vivo

Em nova entrevista, Tony Iommi manteve acesa a chama da esperança dos fãs que ainda esperam por uma nova reunião da formação original do Black Sabbath.

“Estamos todos fazendo coisas diferentes. Falei com Ozzy hoje de manhã, conversamos em torno de três vezes por semana. Ele está fazendo sua turnê e eu trabalhei com Ian Gillan no Whocares, recentemente, além de preparar meu livro. Então, vamos esperar o momento certos, se todos ainda estivermos vivos”, declarou o guitarrista ao The Quietus durante sua presença na exposição Home Of Metal – Celebrating Mudic From Birmingham and the Black Country, no Birmingham Museum & Art Gallery.

Com tempero Tex-Mex!!!

Em entrevista ao canal Fox 26, de Houston, Billy Gibbons declarou que o novo álbum do ZZ Top será uma volta à sonoridade de seus primeiros trabalhos. “Estamos nos divertindo muito. Será um disco alto, rápido, na linha de como devemos ser”.

O músico também destacou a importância de Rick Rubin como produtor executivo e conselheiro no processo de gravação. “Ele nos trouxe mágica pura em algumas sugestões. Basicamente nos falou para fazermos o que sabíamos de melhor. Ele entende a peça fundamental dessa forma de arte norte-americana que é o Blues. Como estamos voltando às nossas raízes, acredito que teremos aquele tempero Tex-Mex”.

Ozzy Osbourne cancela show por laringite

Os organizadores do Graspop Metal Meeting, que está sendo realizado esse fim de semana na Bélgica, emitiram o seguinte comunicado:

“Lamentamos anunciar que Ozzy Osbourne foi forçado a cancelar o show deste sábado. Infelizmente, ele está com uma severa laringite e seu médico recomendou um descanso imediato de 72 horas antes de uma nova avaliação”.

Na sequência o próprio madman se manifestou: “Estava ansioso para me apresentar no lendário Graspop Metal Meeting. Me dói decepcionar as pessoas e é com grande desapontamento que não poderei tocar para os fãs da Bélgica”.

Com isso, o Judas Priest será o headliner do palco principal, que ainda conta com Whitesnake, Black Label Society, Firewind, Channel Zero e Lacuna Coil.

Anthrax: baixe gratuitamente o novo single do grupo

O Anthrax acabou de lançar seu novo single, Fight 'Em Till You Can't, pra download gratuito no site oficial! É só colocar seu e-mail e checar depois a sua caixa de entrada, que vai estar lá pra você!

Fight 'Em Till You Can't é o primeiro de Worship Music, que tem data de lançamento para 13 de setembro, e o primeiro com a volta de Joey Belladonna aos vocais, depois de 19 anos.

http://anthrax.com/

Van Halen: ex-baixista curioso com novo trabalho

Em recente bate-papo com a Ultimate Classic Rock, o baixista do Chickenfoot, Michael Anthony, falou sobre a expectativa em relação ao novo álbum de seu antigo grupo, o Van Halen.

“Quer saber? As pessoas perguntam se sinto falta dos tempos com eles, mas eu já deixei isso para trás. Estou completamente feliz onde estou agora. Mas sim, estou curioso para conferir o que eles trarão de novidades. Porém, sem qualquer tipo de espírito competitivo. Às vezes fico online para ver o que dizem os fãs. Eles tentam estabelecer comparações, já que devemos lançar discos próximos. Mas tomara que o deles seja muito bom, pois o nosso eu sei que é”.

Dio: "não sou o culpado pelo 'Angry Machines', diz Tracy"

Wendy Dio, esposa/empresária do lendário vocalista Ronnie James DIO, disse à revista Goldmine que "musicalmente falando", o álbum que ela menos gostava, da carreira de DIO, era "Angry Machines" (1996), porque ela sentia que Ronnie tinha tomado um rumo que o tornou mais industrial. "Seus fãs não gostaram muito, mas eu fiquei feliz por ele ter decidido voltar ao seu modo normal de compor", disse Wendy.

O ex-guitarrista de DIO, Tracy "G", que gravou os álbuns "Angry Machines" e o álbum de 1993 "Strange Highways, respondeu a comentários de Wendy com a seguinte declaração enviada para o fã clube russo de DIO: "Se Wendy não gosta de mim e se Ronnie não gostava, digo aos fãs que não posso fazer nada sobre isso. Seja por algo que eu fiz pessoalmente, ou pelo meu jeito de tocar guitarra ou seja lá o que ela não gostou, eu não posso mudar. Eu respeito, o jeito como ela se sente sobre isso. Mas está tudo bem comigo".

&…

Filme sobre Brian Wilson será lançado

A vida de Brian Wilson, líder dos Beach Boys, vai ganhar as telonas. Oren Moverman, co-escritor de I’m Not There, filme de Bob Dylan lançado em 2007, foi contratado para escrever o script. “O que me fascina é olhar para diferentes elementos, como aquele período de criatividade quando ele estava fazendo Pet Sounds. Outro momento é sua reabilitação”, declarou o cineasta.

Como a história deve cobrir, no mínimo, quatro décadas, é possível que vários atores interpretem Brian. A película é um dos vários projetos que comemoram os 50 anos da formação dos Beach Boys.

Azeitando a máquina

O baixista do Testament, Greg Christian, atualizou o status da preparação da banda para o novo álbum.

“Eric (Peterson, guitarrista), Gene (Hoglan, baterista), Andy (Sneap, produtor) e eu estamos em estúdio, fazendo jams desde a semana passada. Hoje foi o último dia da pré-produção. Gene começa a gravar a bateria amanhã. Será muito pesado”.

Gene Hoglan gravará o disco em substituição a Paul Bostaph, que não poderá tocar devido a um problema de saúde. O baterista já havia registrado o álbum Demonic, de 1997, com o grupo.

Rocka rolla woman for a rocka rolla man!!!

Perguntado pelo Express & Star sobre qual o ponto alto da carreira do Judas Priest, o baixista Ian Hill não titubeou e deu uma reposta até certo ponto surpreendente.

“Nada supera ver seu primeiro álbum nas prateleiras. Trabalhamos muito por ele. A produção foi terrível, o som idem. Mas era o que tínhamos e estava ali, junto aos discos de nossas bandas favoritas. Só isso, apenas saber que você tinha conseguido, deixou sua marca e aquilo nunca ia se apagar. É ali que começa o legado”.

"A melhor coisa para Randy foi ter se juntado a Ozzy"

Em entrevista ao Ultimate Guitar, Zakk Wylde falou sobre Randy Rhoads trazendo à tona algumas idéias pouco discutidas sobre a história do saudoso e lendário guitarrista.

Você aparece no DVD Thirty Years After the Blizzard fazendo algumas partes de guitarra de Randy.

A melhor coisa para Randy foi ter se juntado a Ozzy. Eu e J.D. (baixista do Black Label Society) estávamos conversando sobre isso. Onde ele colocaria “Diary of a Madman”, “Revelation”, “Over the Mountain” ou “Goodbye to Romance” em um disco do Quiet Riot? Ficamos tentando analisar com o que eles se parecem. Eles soam mais como o Sweet. Ouvia os discos deles e não soava como Queen, mas dava para notar influências. Engraçado que Randy não ouvia Led Zeppelin ou Black Sabbath. O próprio falou isso, ele preferia Alice Cooper e Leslie West. Tenho uma Guitar Player em que ele cita Leslie, além de Steve Lukather e Eddie Van Halen.

Você trouxe um assunto que muitos não mencionam, mas Randy realmente evoluiu na banda de…

Espírito de equipe

Em entrevista à Lithium Magazine, David Ellefson falou sobre as coisas que precisou deixar para trás para se ambientar em seu retorno ao Megadeth.

“Mentalmente me esforcei para não pensar nas coisas que ficaram para trás. Não dá para mudar o passado, só podemos aprender e seguir em frente. Não aprender com os erros do passado é o maior erro que alguém pode cometer na vida, pois nenhum de nós é perfeito. Certamente bandas de Rock são muito próximas devido ao aspecto criativo. Mas há o lado dos negócios. O tempo que você passa em aviões, ônibus e camarins é quando parece que se está confinado, sacrificando seu espaço pessoal pelo grupo. Penso que uma das coisas legais do tempo que fiquei fora foi justamente desenvolver outros lados da minha vida. Quando voltei, senti que tinha aberto minhas asas um pouco mais, podendo voltar a fazer sacrifícios pessoais pelos outros. Essa mentalidade de time é algo que melhorou muito no último ano”.

DVD com raridades de Robert Plant chegando

Sai no dia 23 de agosto o DVD Blue Note, de Robert Plant. O trabalho traz filmagens raras, performances de arquivo, entrevistas e participações de parceiros musicais e críticos, contando a história do vocalista em suas cinco décadas no mundo da música.