Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Cobertura do BH Folk Metal Festival

Aqui está o resto da cobertura do I BH Folk Metal Festival.

Os portões se abriram com um pouco de atraso. Mas não o suficiente para deixar ninguém impaciente, e muito menos para quebrar alguma expectativa.


Quando os portões se abriram, poucos entraram de primeira. Aparentemente estavam com preguiça de assistir às outras duas bandas do Festival: Barbarian Warrior in Search of Wisdom(foto) e Iron Woods( infelizmente minha câmera estava com pouca bateria, e tive que economizá-la para o Týr ).

O Show do Barbarian foi muito bom. Um Metal extremo de PRIMEIRA! Com direito a uma enorme presença de palco e um cenário bem montado para a circunstância. Escudos, espadas machados, e cotas de malha não faltaram para decorar o festival, e isso deixou tudo mais interessante. O som dos caras é conciso, direto, cru, mas ao mesmo tempo trabalhado. O mais interessante é que eles também fazem músicas sobre o paganismo Latino-Americano pré-Colombiano, não esquecendo de suas raízes brasileiras. …

O poder do lobo cada vez maior

Powerwolf – Blood of the Saints [2011]

Quem está acostumado com o trabalho do Powerwolf através de seus discos anteriores, já sabe o que pode esperar. O grupo se mantém fiel à sua proposta de um Power Metal cheio de corais e orquestrações que nos remetem a influências de cantos gregorianos. A diferença é que eles não fazem isso da maneira pomposa e firulenta de muitas atrações do gênero. Aqui, o peso está na linha de frente, unido a melodias de fácil assimilação, apesar da complexidade técnica da obra. Vale destacar também a arte da capa, candidata em potencial a melhor do ano.

Todas as faixas merecem destaque, mas o single “We Drink Your Blood”, a envolvente “All We Need is Blood” (sim, os caras são chegados num sangue) e “Night of the Werewolves” tomam a linha de frente, além da simples e direta “Die, Die, Crucified”. Aliás, importante citar que, com exceção da última, nenhuma canção ultrapassa os cinco minutos, oferecendo dinamismo ao estilo mais elaborado. Impossível d…

Novo single do Chickenfoot, capa e prévia

Essa é a arte promocional de "Big Foot", novo single do Chickenfoot, que sai oficialmente na próxima terça-feira. No site da Amazon você já pode ouvir uma prévia maior da música em relação às divulgadas anteriormente. Clique aqui para ir até lá.

Profissionalismo não é o forte de Oni Logan

O vocalista Oni Logan deixou o Lynch Mob poucas horas antes do show que o grupo faria ontem em Houston. Para o seu lugar, foi chamado às pressas Chaz West (Bonham), que permanecerá para completar a atual turnê. Em pronunciamento oficial, a banda expressou todo seu descontentamento com a atitude do cantor.

“Oni desapontou a nós e os fãs. Tínhamos um vôo agendado e, duas horas antes, ele avisou que estava saindo. Ficamos tristes, mas vamos honrar com nossas obrigações”.

Em janeiro desse ano, Logan havia protagonizado um fiasco durante show em Denver, Colorado, se apresentando totalmente embriagado.

Gravando em casa

O show de Slash em sua terra-natal, Stoke-on-Trent, realizado no último dia 24, foi registrado para lançamento em DVD. A idéia é que o vídeo esteja disponível em outubro. “Já queria ter feito isso há muito tempo, mas nunca parecia possível. Um dos motivos de eu ter lançado minha carreira-solo era justamente para poder tocar em lugares que nunca havia me apresentado antes. Por motivos óbvios, Stoke estava no topo da lista”, declarou o músico.

No show foram executadas as seguintes músicas:

01. Been There Lately (SLASH'S SNAKEPIT)
02. Nightrain (GUNS N' ROSES)
03. Ghost
04. Mean Bone (SLASH'S SNAKEPIT)
05. Back From Cali
06. Rocket Queen (GUNS N' ROSES)
07. Civil War (GUNS N' ROSES)
08. Nothing To Say
09. Promise
10. Starlight
11. Doctor Alibi
12. Speed Parade (SLASH'S SNAKEPIT)
13. Watch This
14. Beggars & Hangers-On (SLASH'S SNAKEPIT)
15. Patience (GUNS N' ROSES)
16. Guitar Solo / Godfather Theme
17. Sweet Child O' Mine (GUNS N' ROSES)
18. Slither (VELVE…

A pessoa errada no lugar errado

Em 1991, a repórter Anamaria de Lemos, da Revista Bizz, foi ao Castle Donnington Monsters of Rock e achou (quase) tudo uma merda.

É meio-dia. Na tenda da MTV, alguns jornalistas concorrem ao troféu "quem faz a pergunta mais idiota ao Queensryche". O dia está ensolarado, mas o vento quase derruba as barracas e guarda-sóis da área de hospitalidade.

Quem tem sorte ou bons contatos, ou um bom motivo para estar aqui - como trabalho -, tem o famoso passe amarelo VIP e pode freqüentar a área reservada às bandas. O pessoal do passe verde - jornalistas e convidados - passeia pelo gramado: velhos rockers, peruas de minissaia e salto alto (apropriadíssimos para a ocasião) e executivos das gravadoras, vestidos com suas amostras grátis -camiseta da MTV, óculos escuros do Marillion e assim por diante.

Apesar de as bandas desse 11.º Castle Donnington darem de dez a zero no glam rock falido do ano passado (Whitesnake, Poison; Quireboys), a empolgação aqui atrás é bem menor. Talv…

Judas Priest: Faulkner gostaria de conversar com K.K.

O site Geeks of Doom recentemente conduziu uma entrevista com o novo guitarrista do Judas Priest, Richie Faulkner. 


Geeks of Doom: Você foi bem recebido na banda?


Richie Faulkner: Completamente. Eles não pouparam nem um pouco na receptividade, em todos os aspectos – a nível pessoas e a nível musical. Nós fizemos arranjos em algumas músicas quando executadas ao vivo para colocar alguns solos extras de guitarra para dar ênfase ao que eu posso fazer e você não pode ser mais bem recebido que isso. Você sabe, alterar arranjos para clássicos como esses só para dar espaço para o que você pode fazer, acho que é uma grande honra receber essa oportunidade.


GoD: O som das guitarras gêmeas de K.K. Downing e Glenn Tipton é parte integral do Judas Priest e do Metal em si.


RF: Absolutamente.


GoD: Você sentiu algum tipo de pressão ao substituir uma parte disso?


RF: Na verdade, não. Quer dizer, como fã da banda, eu sei o que os fãs esperam. Eu sabia o que eu tinha que fazer, como guitarrista e como…

"O Giuffria não representava meu background"

Em entrevista ao Ultimate Guitar, o guitarrista Craig Goldy relembrou passagens de seu começo de trabalho no Dio.

Quando você substituiu Vivian Campbell, já conhecia os álbuns anteriores do Dio? Houve algum problema de transição?

Nos bastidores não, pois Ronnie era meu cantor preferido. Então eu escutava aqueles discos toda hora. Estive em uma banda chamada Rough Cutt, que foi produzida por ele, tínhamos uma relação muito boa. Sabia como ele trabalhava em estúdio, não tivemos problemas.

E houve algum outro problema?

O único foi que as pessoas me conheciam apenas pela banda Giuffria. Então, diziam: “Ah, ele está vinda daquela banda de bichinhas, então de vê ser um desses boiolas que não sabem tocar Metal”. Muitos fãs pensavam isso sem saber que meus grupos favoritos eram o Deep Purple e o Black Sabbath. Aconteceu de eu entrar na indústria através do Giuffria. Mas que fique claro que eu gostava daquela música, havia alguns rocks bem legais. Mas não representava meu background.

Chris Cornell no SWU

O vocalista do Soundgarden é a nova atração confirmada para o festival que acontece em Paulínia. O show acontece no dia 13 de novembro. Outro anúncio foi do Black Rebel Motorcycle Club, que se apresenta um dia depois.

Isso que dá andar com o Def Leppard

A guitarrista do Heart, Nancy Wilson, sofreu uma fratura no punho em um acidente doméstico. Como a lesão foi leve, não a impedirá de continuar se apresentando na atual turnê que o grupo faz em conjunto com o Def Leppard. De qualquer modo, o grupo recrutou um músico de apoio enquanto Nancy não se recupera por completo.

Sensacionalismo vende mesmo

O episódio de Family Jewels em que Gene Simmons propõe casamento a Shannon Tweed bateu recordes de audiência. De acordo com o Deadline.com, mais de 3 milhões de televisores norte-americanos estavam ligados na atração, em seu melhor desempenho desde a estréia. É, quando o inacreditável surge a coisa esquenta.

Foreigner em lançamento especial

O Foreigner está lançando um pacote imperdível para os fãs. Feels Like the First Time conta com dois CDs e um DVD, repassando a história de 35 anos da banda. O primeiro disco é Acoustique: The Classics Unplugged. Como o nome já denuncia, o play traz versões acústicas para clássicos do grupo.

O segundo é Juke Box Heroes: Brand New Digital Recordings of Foreigner's Greatest Hits, que além de sons do passado regravados com a formação atual, traz a inédita “Save Me”. Para fechar, o DVD Live in Chicago foi filmado em duas apresentações realizadas no mês de março último.

Os tracklists completos trazem as seguintes faixas:

Acoustique: The Classics Unplugged

01. Long, Long Way From Home
02. Cold As Ice
03. The Flame Still Burns
04. Double Vision
05. Fool For You Anyway
06. Say You Will
07. Starrider
08. Waiting For A Girl Like You
09. Feels Like The First Time
10. Juke Box Hero
11. That's All Right

Juke Box Heroes: Bran New Digital Recordings of Foreigner's Greatest Hits

01. Save Me
02. F…

White Widdow lança novo disco

Uma das revelações recentes da cena AOR lança seu segundo álbum em 23 de setembro próximo. São os australianos do White Widdow, que trazem em Serenade as seguintes faixas:

01. Cry Wolf
02. Strangers In The Night
03. Do You Remember
04. Reckless Nights
05. How Far I Run
06. Serenade
07. Show Your Cards
08. Mistake
09. Patiently
10. Love Won’t Wait

Top 10 Rush, segundo o UCR

Em comemoração ao aniversário de Geddy Lee (58 anos), a redação do Ultimate Classic Rock elaborou um Top 10 dos álbuns do Rush. Confira a lista, que teve algumas escolhas bem curiosas:

1. Moving Pictures (1981)
2. 2112 (1976)
3. Fly By Night (1975)
4. Rush (1974)
5. Hemispheres (1978)
6. A Farewell To Kings (1977)
7. Signals (1982)
8. Permanent Waves (1980)
9. Roll the Bones (1991)
10. Snakes & Arrows (2007)

A escolha certa

Em entrevista ao Brave Words, o guitarrista Brad Gillis relembrou os tempos em que tocou com Ozzy Osbourne, além do momento em que precisou escolher entre permanecer com o madman ou ficar em definitivo com o Night Ranger.

Nos últimos anos o Night Ranger tem incorporado algumas músicas de Ozzy no setlist, como “Crazy Train”...

Sim, é algo divertido, gostamos de fazer. Me traz memórias de 1982, quando toquei com ele. Às vezes tocamos algo do Damn Yankees e agora estamos colocando AC/DC no repertório. Ajuda a manter um ar de novidade para nós.

Você se arrepende de não ter feito um trabalho de estúdio com Ozzy?

Teria sido ótimo, mas nos onze meses em que estive na banda acabamos fazendo aquelas gravações ao vivo em Nova York durante a Speak Of the Devil Tour. Perto do fim da excursão o Night Ranger conseguiu um contrato com a gravadora e decidi ficar com eles, já que somos como irmãos. Dawn Patrol, nosso primeiro disco, acabou saindo na mesma semana que Speak Of the Devil, álbum…

Derek Riggs: "Eddie vende mais do que Mickey Mouse"

Seu rosto diabólico e seu olhar de maníaco estão em todas as capas do IRON MAIDEN desde que eles lançaram seu primeiro LP, em 1980. Edward T. Head, mais conhecido como Eddie, é uma ex-máscara de teatro que há mais de 30 anos ganhou um corpo e se transformou no membro mais conhecido da banda.

Nos anos 70, ele era uma caveira que ficava acima do baterista. “Tinha olhos vermelhos que piscavam e cuspia sangue falso em cima dele,” relembra o baterista Nicko McBrain.
Quando o IRON MAIDEN lançou seu primeiro álbum em 1980, não havia dúvida de quem estaria na capa – Eddie, desenhado pelo artista britânico Derek Riggs. Aqui, ele fala ao Revealed sobre o demônio que fez dele famoso.

Quando você começou a desenhar o Eddie, nos anos 70, você imaginou que ele iria se tornar um personagem tão famoso e amado pelos fãs do Maiden?
Derek Riggs: "Assim que terminei a primeira figura do Eddie, eu encostei na cadeira e pensei 'esse desenho vai me fazer rico e famoso'..…

Dark Rock

Em entrevista à Gibson, Tony Martin falou sobre a sonoridade do BLACK, projeto que prepara com Andy La Rocque e Magnus Rosén. “É um Dark Rock mais acessível. No momento, estamos trabalhando em projetos individuais. Temos duas músicas prontas, elas soam de modo único. O plano é lançar de maneira diferente em relação a um trabalho convencional”.

Quando o assunto foi seu passado com o Black Sabbath, o vocalista não hesitou em apontar o trabalho preferido. “Cross Purposes foi o melhor, mas Headless Cross e TYR foram os que mais venderam. Os outros também eram legais”.

Sóbrio em mente

Em entrevista à Classic Rock, Danny B falou sobre o Head Cat, projeto com Lemmy Kilmister e Slim Jim Phantom. Confira alguns trechos.

Como a banda foi formada?

Conheci Lemmy nos anos 1980. Ele é um grande fã de Rockabilly. Em 2000, Slim Jim e eu iríamos produzir um tributo a Elvis. Chamamos vários amigos, de backgrounds diferentes. Descobrimos que tanto Johnny Ramone como Lemmy eram grandes fãs de Elvis. Eles concordaram em participar. Gravaríamos as músicas e depois cada convidado faria sua parte. Quando Lemmy cantou “Viva Las Vegas”, estava no tom errado. Então ele falou que nós três deveríamos apenas gravar o disco. Assim a banda nasceu.

Deve ser um trio muito divertido.

É demais. Conheço Jim há muito tempo. Lemmy é um cara old school no estúdio, participou de todo o processo de gravação. Decidimos tudo juntos, foi muito legal.

Passar tanto tempo com Lemmy pode ser perigoso.

E é. Mas ele está sempre sóbrio em mente. Toma seu Jack Daniels com Coca-Cola, mas se mantém firme. …

Ovelhas negras da discografia

Para muitos, o começo do fim. Mas como poucos perceberam de cara, a terra prometida foi exaltada.


Queensrÿche – Promised Land

Depois de quatro longos anos de silêncio, a melhor banda que Seattle já revelou volta a nos presentear com um álbum espetacular. Produzido por James Barton, que já havia trabalhado com eles em Operation: Mindcrime (que, pra muitos, é um dos melhores discos de heavy metal já feitos até hoje), Promised Land é de extremo bom gosto, beirando a perfeição, além de sóbrio, denso e complexo. “I Am I” e “Damaged” são pesadas, nervosas, com riffs marcantes e envolventes. Já “Out Of Mind”, “Someone Else?” e “Bridge” são quase acústicas, belíssimas, com arranjos primorosos.

Nota 10
Marcos Cardoso
Rock Brigade número 104, março de 1995

Brothers in arms!

Em entrevista ao The Celebrity Cafe, os irmãos Vinny e Carmine Appice relembraram passagens do passado. A dupla atualmente excursiona pelos Estados Unidos com o evento Drum Wars.

Qual o melhor músico com que vocês já trabalharam e por quê?

Vinny: Toquei com John Lennon aos 16 anos, então é uma escolha fácil. Fizemos três vídeos com ele e foi incrível. Além disso, Black Sabbath. Tocar com eles foi uma experiência fantástica, muito legal. Me apresentar em arenas foi algo diferente.

Carmine: É difícil dizer. É como perguntar o sabor favorito de sorvete. Todos, eu diria. Se aprende algo diferente de cada um.

E o momento mais excitante da carreira?

Vinny: Provavelmente ter tocado no Madison Square Garden com Rick Derringer, abrindo para o Aerosmith. Era minha primeira banda profissional, foi realmente louco.

Carmine: Ter tocado no Ed Sullivan Show, além de alguns festivais. Tive várias grandes experiências. Fui um rockstar a vida inteira, é incrível.

Bem recebido

Em entrevista ao Geeks Of Doom, o guitarrista Richie Faulkner falou sobre sua aceitação ao substituir K.K. Downing no Judas Priest.

Você foi bem recebido pela banda?

Com certeza, tanto em um nível pessoal quanto musical. Rearranjamos algumas músicas ao vivo para colocar solos extras, assim todos poderiam ver do que sou capaz. Fazer isso com clássicos é uma grande honra.

E a reação dos fãs?

Muito boa, de verdade. Foi incrível como receberam um cara novo à família. Inicialmente havia um ceticismo, o que é natural. É o que ocorre quando alguém sai após 40 anos. As pessoas têm uma tendência a pensar no pior. Então, sempre soubemos que eles ficariam do nosso lado após uma semana de shows. Todos foram receptivos, compreenderam e aceitaram. Após duas ou tr~es músicas já estão com as mãos no ar e cantando juntos.

You won't ever have to say goodbye...

Em emocionado manifesto, Joe Elliott agradeceu aos fãs pelo apoio nas últimas semanas. O Def Leppard cancelou recentes shows da turnê conjunta com o Heart devido à morte do pai do vocalista.

A essa altura a maioria já deve saber que meu pai faleceu após muito tempo doente em 7 de julho, aos 81 anos. Por isso alguns de nossos shows foram remarcados e, sendo honesto, o motivo de eu não estar na melhor forma recentemente. Peço desculpas por isso. Ensaiar e excursionar, mesmo com a benção dele, foi muito mais difícil do que eu imaginava. Mesmo com as piadas e sorrisos durante as entrevistas e no palco, há tristeza e preocupação, das quais não dá para se livrar. É duro lidar com isso, mas vocês sabem que somos os reis da superação, então prevalecemos.

Ontem à noite aconteceu o primeiro show após a parada forçada. O primeiro que fiz sem ter um pai. Ao povo de Cincinatti, Ohio, obrigado por fazerem ter sido um pouco mais fácil lidar com isso! Admito que fiquei sem fôlego. Em “P…

Paz e amor, bicho

Em entrevista à Classic Rock, Scott Weiland revelou que fez as pazes com Slash e os outros membros do Velvet Revolver. Ao relembrar os tempos na banda, não poupou elogios aos antigos companheiros. “Foi algo mágico. Estava me desintoxicando e esses caras já estavam limpos. Tivemos um grande relacionamento pois passamos pelas mesmas experiências. Acho que fizemos um bom trabalho, era um ótimo grupo ao vivo e gravamos dois álbuns excitantes”.

Segundo o cantor, a relação atual é boa. “Nos encontramos de vez em quando, além de trocar mensagens”. Com essa retomada, há possibilidade de uma reunião? “Nunca diga nunca. Quem sabe fazemos alguns shows no futuro”.

Capa e tracklist de novo trabalho do Machine Head

Essa é a capa de Unto the Locust, novo álbum do Machine Head que chega às lojas em 27 de setembro, via Roadrunner Records. O tracklist é o seguinte:

01. I Am Hell (Sonata in C#)
I) Sangre Sani
II) I Am Hell
III) Ashes To The Sky
02. Be Still And Know
03. Locust
04. This Is The End
05. Darkness Within
06. Pearls Before The Swine
07. Who We Are

A edição especial, além de um DVD com o making of do disco, traz três faixas bônus.

08. The Sentinel (JUDAS PRIEST cover)
09. Witch Hunt (RUSH cover)
10. Darkness Within (Acoustic)

A carne é assada e o Mötley Crüe!

Dia 28 de setembro a Universal Music relança no Japão toda a discografia de estúdio do Mötley Crüe. Estão de volta às prateleiras: Too Fast For Love (1981), Shout At The Devil (1983), Theatre Of Pain (1985), Girls, Girls, Girls (1987), Dr. Feelgood (1989), Mötley Crüe (1994), Generation Swine (1997), New Tattoo (2000) e Saints Of Los Angeles (2008). Os álbuns foram remasterizados no formato SHM-CD e estarão disponíveis com capas em formato mini-sleeve.

Retrsopectiva de um passado pouco conhecido

O Anvil anunciou o lançamento de uma coletânea. Monument Of Metal: The Very Best of Anvil apresenta a história do grupo canadense, que recentemente teve sua popularidade aumentada graças ao documentário The Story of Anvil. A compilação reúne 19 faixas e será lançada em 19 de setembro, via The End Records.

Iron Maiden: entrevista com Paul Mario Day no IMB

Saiu recentemente uma grande e esclarecedora entrevista com Paul Day, o 1º. vocal do Maiden. A Crimzon Lake, sua recente banda, tem recebido atenção dos órgãos de imprensa juntamente com o lançamento do EP auto-intitulado. O nome Paul Mario Day pode não dizer muito para muitos fãs de metal, mas certamente diz para qualquer seguidor do Iron Maiden.

Paul foi o vocalista original da banda, cantando com eles nos primeiros meses de carreira musical. Se vocês voltarem a olhar as biografias passadas como Running Free (1984) de Gary Bushell, Infinite Dreams (1996) de Dave Bowler e Bryan Dray, e Run To The Hills (1998) de Mick Wall, vão ver que Paul é mencionado favoravelmente.

Paul, quando você começou a ouvir heavy metal e quando percebeu que você tinha uma voz pra isso?

Eu comecei ouvindo heavy metal entre os onze e treze anos de idade. Eu comecei cantando no colégio e garotos costumavam tentar e me testar com canções, para ver se eu conseguiria cantá-las.Queria ser um mús…

Detalhes de reunião de feras do AOR

Foi revelado o tracklist do álbum que reúne Bobby Kimball (Toto) e Jimi Jamison (Survivor). O disco conta com as seguintes faixas:

01. Worth Fighting For
02. Can't Wait For Love
03. Sail Away
04. Chasing Euphoria
05. Find Another Way
06. Get Back In The Game
07. I Did Everything Wrong
08. Shadows Of Love
09. Hearts Beat Again
10. We Gotta Believe
11. Kicking And Screaming
12. Your Photograph

Ainda haverá uma edição em digipack trazendo um DVD bônus. Nele, um documentário de 30 minutos com o making of do trabalho e os clipes para “Worth Fighting For” e “Can’t Wait For Love”.

Encarando o problema de frente

Em entrevista ao Youngstown News, Bret Michaels deixou claro que seus recentes problemas de saúde não são obstáculos para as apresentações ao vivo.

“Se eu resolvesse ficar em casa, enlouqueceria. Sei que alguns acham que deveria, mas não é a minha vida. Tenho diabetes desde os seis anos e sempre enfrentei. Não importa o que há no caminho, o negócio é montar no cavalo e ir em frente. Também penso que é importante mostrar esse pensamento às minhas filhas. Estar em turnê é a coisa certa a fazer”.

Quase pronto

O novo álbum do ZZ Top está gravado e sendo mixado neste momento. O lançamento acontece no fim do ano, garante Billy Gibbons em entrevista à Mojo Magazine. “Ele soa como Tres Hombres com alguns elementos de Eliminator. Vai do Blues básico a algo mais produzido”.

Alguns títulos de músicas incluem “Flyin’ High”, “More Slower Blues”, “Chartreuse” e “Have a Little Mercy”.

Semana Metallica

O Metallica lançou o seguinte comunicado em seu site oficial:

Trinta anos de Metallica... dá para acreditar? É motivo para uma grande celebração! Vocês já vinham perguntado faz tempo o que faríamos para marcar a data, assim como porque não fazíamos mais shows exclusivos para os membros do fã-clube.

Captamos a mensagem e temos orgulho de anunciar que a semana que se inicia em 5 de dezembro será dedicada ao Metallica na Bay Area. Faremos quatro shows para os membros do Met Club no Fillmore, em San Francisco. Eles acontecerão em 5, 7, 9 e 10 de dezembro e incluirão convidados especiais, setlists variados, canções raras e todas as loucuras que se espera de nós. Diversão para a família inteira!

Novo álbum do Bang Tango em setembro

O Bang Tango está acertando os últimos detalhes de seu vindouro álbum, ainda sem nome, com lançamento previsto para setembro. A formação atual da banda consiste em Joe LeSte (vocais), Scott LaFlamme (guitarra), Lance Eric (baixo) e Trent Anderson (bateria). Kevin Rodgers e Daniel Salcido assinam a produção.

Segundo Anderson, “O novo álbum está quase pronto. Finalizamos as gravações, agora só falta editar, mixar e masterizar. Planejamos lançá-lo em setembro via 78 Records”. O baterista completa dizendo: “Não temos a intenção de mudar o mundo com este álbum, mas esperamos que antigos e novos fãs aprovem. A resposta do público nos shows tem sido ótima. Nunca estaremos livres das comparações com os clássicos, mas tivemos boas idéias de canções, quisemos gravar e ponto final.”

Postergando

De acordo com a Amazon.com, o novo DVD do Rush, Time Machine 2011: Live in Cleveland, teve sua data de lançamento adiada. Ao invés de 27 de setembro, o trabalho estará disponível a partir de 25 de outubro.

A atração principal é o show registrado na Quicken Loans Arena, em Cleveland, Ohio, em 15 de abril último. As filmagens ficaram por conta da Banger Productions, que já havia trabalhado com a banda no documentário Beyond The Lighted Stage.

"Eu odeio solos"

Em entrevista ao Ultimate-Guitar.Com, Gilby Clarke revelou detalhes sobre sua passagem pelo Guns N’ Roses. Acompanhe trechos:

Como foi a sua entrada no Guns N’ Roses?

Bem, eu recebi um telefonema. Slash telefonou me chamando “Não quer aparecer por aqui amanhã e tocar conosco?”. “Sim, tudo bem”, eu disse. E eu apareci no dia seguinte. Duas semanas depois, fiz meu primeiro show no Guns N’ Roses. Na real, eu fui o único guitarrista que eles testaram pessoalmente. O restante todo ficou só na base dos telefonemas.

Você já compôs com Axl ou Slash?

Nunca compus nada com Axl, mas já compus e componho bastante ainda com Slash. Ele (Slash) tem um estúdio em casa onde costumamos nos reunir com Matt (Sorum, baterista) para algumas jams. Chegamos a gravar algumas coisas, mas foi só.

Como foi tocar ao lado de Slash? Havia espaço para você se expressar como guitarrista?

Foi ótimo. Slash foi, para mim, o último guitar hero. Sou da velha guarda, não sei nada sobre pontes flutuantes. Virtuosismo é…

30 anos das forças aliadas

Em comemoração aos seus 30 anos, o álbum Allied Forces, do Triumph ganhará um relançamento especial em vinil; O pacote reproduzirá com alta fidelidade todos os detalhes do lançamento original, incluindo encarte, fotos e créditos. De bônus, um download card para os fãs colocarem esse clássico em seus players digitais. O disco estará disponível a partir do dia 22 de setembro.

"Ninguém mais compra discos"

Em entrevista ao Spazio Rock, da Itália, o guitarrista Jay Jay French descartou a possibilidade de o Twisted Sister lançar um novo álbum.

“No passado, gravávamos álbuns para promover em uma turnê. Não fazemos mais excursões nesses moldes, então não há motivos. Ninguém mais compra discos. Vamos ser honestos, quando uma banda toca uma música nova durante o show, todo mundo vai ao banheiro. Os fãs querem ouvir as mesmas de sempre”.

Ellefson: "se acredita no diabo,é melhor acreditar em Deus"

Em uma entrevista para o Noisecreep.com, o baixista David Ellefson do MEGADETH, que lutou contra drogas  pesadas e o vício do álcool antes de ficar sóbrio no final dos anos 90, falou sobre a morte da cantora Amy Winehouse e o quanto foi difícil para ele ficar limpo.

"Ela era muito aberta, a respeito de sua vida conturbada e cheia de vícios, e como um cara recuperado, meu coração se entristece quando eu vejo isso acontecer. Porque há uma série de confusões por trás dos problemas pessoais", disse Ellefson. "Minhas orações estão com sua família agora, e todas as pessoas que a conheciam. Foi inesperado, mas é a realidade, e todos nós temos que lidar com isso".

Quando perguntado sobre a crença de algumas pessoas, que são atormentadas por demônios, Ellefson disse: "Quando você está neste jogo, tudo parece ser só diversão, e depois, derepente, tudo se escurece. E é este o lugar onde muitas pessoas não conseguem sair. É exatamente uma ligação com o diabo…

Sem arrependimentos

Ace Frehley lança dia 1 de novembro a autobiografia No Regrets. Com 288 páginas, a obra é uma revisão da vida de sexo, drogas e Rock and Roll do eterno guitarrista do KISS. O livro foi escrito em parceria com o jornalista Joe Layden, que recentemente trabalhou com Dave Mustaine em Mustaine: A Heavy Metal Memoir.

Nova tempestade cerebral

Os alemães do Brainstorm lançam dia 30 de setembro o álbum On the Spur Of the Moment. O disco trará as seguintes faixas:

01. Below The Line
02. In The Blink Of An Eye
03. Temple Of Stone
04. In These Walls
05. Still Insane
06. Dark Life
07. No Saint - No Sinner
08. Where Your Actions Lead You To Live
09. A Life On Hold
10. My Own Hell

"Não somos uma banda religiosa"

O blog Metalshrine conduziu uma entrevista com o frontman do Stryper, Michael Sweet. Seguem trechos abaixo:

Metalshrine: Você tem ideia de quantas bíblias vocês já jogaram para o público durante esses anos?

Michael: Definitivamente milhares! Quando tocávamos em arenas para 10 ou 12 mil pessoas, jogávamos umas 200 bíblias por show. Agora jogamos cerca de 30 ou 40 por show, mas somando todos os shows, com certeza milhares. Jogávamos desde os velhos tempos e as bíblias ficavam no chão, então fizemos adesivos da banda para colocar nas bíblias e, desde então, nunca mais vimos uma bíblia largada!

Metalshrine: Comparando os Estados Unidos com a Suécia, nós não somos tão religiosos como os Estados Unidos, há diferenças entre viajar nos diferentes estados dos EUA? Vocês ainda são criticados nos dias de hoje?

Michael: Ainda somos um pouco criticados. Antigamente havia muito mais criticismo, mas as pessoas parecem estar com a mente mais aberta agora. Muitas vezes íamos fazer um show e ér…

Gotthard lançando novo CD e DVD

Chega às lojas dia 30 de setembro Homegrown – Alive in Lugano, CD/DVD ao vivo do Gotthard. O lançamento já era planejado antes da trágica morte do vocalista Steve Lee, mas acabou sendo adiado. O show na terra natal do grupo aconteceu no dia 17 de julho do ano passado, sendo um dos últimos da banda com o cantor. Em casa, os músicos se apresentaram para um público estimado em 20 mil pessoas.

O DVD ainda trará como bônus outro concerto do grupo na cidade, esse realizado em 31 de dezembro de 1999. Outros extras incluem uma música inédita, chamada “The Train”, gravada ao vivo em estúdio, além de entrevistas com os integrantes da banda.

Manowar lança edição especial de último disco

Celebrando sua nova turnê pelo Reino Unido, o Manowar está lançando uma nova versão do álbum Battle Hymns MMXI. A edição conta com quatro faixas bônus, registradas na primeira parte da turnê. São elas:

'Call To Arms' (Recorded Live at O2 Academy in Birmingham, England, March 27th, 2011)
'Hand Of Doom' (Recorded Live at La Riviera in Madrid, Spain, April 10th, 2011)
'House Of Death' (Recorded Live at O2 Academy in Birmingham, England, March 27th, 2011)
'Thunder In The Sky' (Recorded Live at Campo Pequeno in Lisbon, Portugal, April 2nd, 2011)

O álbum faz parte de um pacote que inclui uma edição especial da revista Metal Hammer. Uma cópia pode ser adquirida aqui. O número é limitado.