Pular para o conteúdo principal

Blind Guardian: 25 anos de Follow The Blind

Blind-Guardian-Follow-The-Blind

(lançado em 25 de outubro de 1989)
Após a boa repercussão de Batallions Of Fear, trabalho de estreia, o Blind Guardian não demorou em retornar ao estúdio. Respaldados pelo reconhecimento e comparações com o Helloween, à época soberano na cena local, os alemães chamaram a atenção de Kai Hansen. O então recém saído das abóboras germânicas acabou participando diretamente com vocais e dois solos de guitarra no novo disco de Hansi Kürsch e companhia. O frontman, é bom lembrar, não se encarregava apenas do microfone nos primeiros anos do conjunto. Era dele a função de baixista. Com esse time, foi criado Follow The Blind, que para muitos fãs é o álbum que melhor representa a primeira fase do guardião cego.
 Aqui, o Power Metal com toques de Speed – até mesmo de Thrash em algumas passagens – dominava o terreno. Sem a grandiosidade que caracterizaria os momentos posteriores, o grupo investia na agressividade sem descuidar das melodias pegajosas. Essas características consagrariam o único single lançado para promover o play, a empolgante “Banish From Sanctuary”. Da mesma forma, “Hall Of The King” exibia a pegada típica do país de origem dos músicos. Mas o grande hino ficaria por conta de “Valhalla”, até hoje uma das preferidas dos fãs. Curiosamente, a banda não depositava muita esperança de sucesso nela, ao contrário das duas anteriormente citadas. Grata surpresa, no final das contas.

Ainda há a trabalhada faixa-título, a pesada “Fast To Madness” e a ótima instrumental “Beyond The Ice”. Como curiosidade, a introdução “Inquisition” é tirada da Missa dos Mortos da Igreja Católica. Foi utilizada apenas a frase Pie Jesu Domine, dona eis requiem (Senhor Jesus, conceda-lhes o descanso). Na parte final, dois covers. “Don’t Break The Cicle”, dos britânicos do Demon, não aparece na versão original do vinil, seguindo a tradição da época de conceder uma faixa para o CD, visando impulsionar sua popularização. Fechando o tracklist, “Barbara Ann”, consagrada pelos Beach Boys. Ainda foi inserido um trecho de “Long Tall Sally”, clássico de Little Richard, com participação do músico e produtor alemão Rolf Köhler.
Follow The Blind ajudou a manter o nome do Blind Guardian em franca ascensão. A banda seguiria excursionando pela Europa até o final do ano seguinte, quando lançaria Tales From The Twilight World. Este trabalho já mostraria os caminhos que seriam seguidos posteriormente, com a adição de corais e influências de música clássica, proporcionando uma sonoridade mais épica. Mas essa história é para ser contada em outro momento. De certo, apenas o fato de que o grupo sempre ofereceu material de qualidade, independente da fase da carreira.
                                        blind_guardian_-_follow_the_blind_inlay

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.