Pular para o conteúdo principal

Top 5 Pantera: About.com elege os cinco melhores álbuns da banda

 A matéria abaixo foi publicada originalmente no About.com em janeiro de 2010.
Apesar de começar como uma banda de glam metal, o PANTERA se reinventaria em 1990 com o álbum “Cowboys From Hell”, se tornando uma das maiores bandas de Metal dos anos 90.
O quarteto do Texas influenciou inúmeras bandas ao mostrar que o Metal ainda tinha energia guardada, mesmo com a onda do Grunge dominando o país.
O álbum “Far Beyond Driven” de 1994 iria liderar as paradas da Billboard, uma façanha que parecia impossível para qualquer banda de Metal durante meados dos anos 90.
Liderados pelo excêntrico vocalista Phil Anselmo e com a magia da guitarra de "Dimebag" Darrell, o PANTERA deixou uma marca permanente que não vai desaparecer tão cedo.

 Imagem
O primeiro álbum do PANTERA onde a banda finalmente esculpiu sua própria direção, iria mostrar um lado diferente do PANTERA mais voltado para um som groove metal. A faixa principal, a balada épica “Cemetery Gates”, a monstruosa “Domination” e a pesada “The Art Of Shredding” são apenas algumas das faixas que deixaram um impacto sobre o ouvinte despretensioso. “Cowboys From Hell” foi a obra- prima do PANTERA, apresentando a banda em um nível musical que nunca mais foi atingido.

'Vulgar Display Of Power' (1992)
Imagem
Embora o “Cowboys From Hel” tivesse músicas fenomenais, em “Vulgar Display Of Power” havia “Walk”, que para alguns é a música mais importante do PANTERA. Enquanto esta idéia era discutida durante anos, não há dúvidas de que o PANTERA liberou toda sua agressão em "Vulgar Display Of Power". Anselmo substituiu a voz limpa, em sua maior parte, por um grunhido que sufoca o ouvinte com sua força e intensidade. "Hollow" é uma balada subetimada no catálogo da banda, e é a última performance com fortes vocais limpos feitos por Anselmo, antes das drogas e álcool cobrarem seu preço.

3. 'Power Metal' (1988)
Imagem
Embora a banda odiasse admitir, “Cowboys From Hell” não foi o seu primeiro álbum. Antes deste revolucionário lançamento, o PANTERA foi uma banda de Metal Glam. “Power Metal” mostrou a banda como a se direcionar para um som mais híbrido de Heavy/Speed Metal, com o novo vocalista Phil Anselmo apresentando seu estilo selvagem. Seus vocais eram completamente diferentes do que aquilo que a maioria das pessoas ouviu nos álbuns posteriores da PANTERA, Anselmo teve uma abordagem totalmente limpa, com notas altas e falsetes que fariam Rob Halford corar. As músicas em si não são nada de especial, mas o desempenho vocal de Anselmo é o melhor de sua carreira, e como de costume, tocando guitarra, Darrell foi fantástico.

4. 'Far Beyond Driven' (1994)
Imagem
Com “Far Beyond Driven”, o Pantera iria diminuir o ritmo consideravelmente, baixando a afinação das guitarras e apontando para um som mais extremo. A banda mantém o ritmo médio de compassos, com a exceção de um número selecionado de músicas mais rápidas, incluindo "Becoming" e "Slaughtered". As letras de Anselmo ficaram mais pessoais, seus vocais, embora tenham se encaixado muito bem nas músicas, mostrou sinais de fraqueza em certos momentos. A inclusão de um cover da música do BLACK SABBATH, "Planet Caravan" foi uma coisa interessante e complexa ao mesmo tempo.

5. 'The Great Southern Trendkill' (1996)
Imagem
O último álbum decente do PANTERA, “The Great Southern Trendkill” sacrificou a melodia pela brutalidade, levando a resultados mistos. A banda começou a desmoronar, com o uso de drogas do Phil Anselmo levando vantagem sobre ele. As letras descrevem em detalhes, a perda da batalha de Phil Anselmo contra o abuso de substâncias, especialmente em "10's", "Suicide Note" e "Living Through Me (Hell's Wrath)". O PANTERA experimenta um pouco com seu som, utilizando o violão e efeitos eletrônicos em "Suicide Note Pt.1". "Floods" é considerada uma das canções memoráveis da banda, com o solo de Darrell gerando aclamação entre os demais guitarristas.


Traduzido por Karina Detrigiachi | Fonte: About.com
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.