Pular para o conteúdo principal

WASP: Por que eles não tocam mais "Animal (Fuck Like A Beast)"?

 Imagem

A norueguesa FVN.no conduziu em novembro de 2009 uma entrevista com o guitarrista, vocalista e compositor do W.A.S.P., Blackie Lawless, antes da performance da banda no dia 29 de outubro, em Kristiansand. Blackie fala de sua fé, e explica por quê nunca mais tocará a canção "Animal (Fuck Like A Beast)" novamente. Assista à conversa e confira alguns trechos destacados abaixo:

Sobre ter um show bastante básico atualmente:
Blackie: "O que você está dizendo é: 'Você ainda dá o seu sangue?' Não eu não estou fazendo isso [Lawless constumava jogar carne crua e sangue falso na audiência durante os shows]. Eu não preciso mais disso, porque quando você está tentando passar uma mensagem para as pessoas, a imagem daquele show antigo falava tão alto que as pessoas estavam escutando com seus olhos e não seus ouvidos. Nós fazíamos o que considerávamos arte abstrata e estávamos tentando fazer um comentário social dentro daquilo, e ninguém estava entendendo o comentário social, eles pensavam 'Oh, é uma banda de shock-rock.' Nós nunca nos consideramos uma banda de shock-rock, e, para ser honesto, até hoje eu tenho esses resentimento; eu não gosto de ser considerado parte disso. Mas eu entendo que os olhos são o sentido dominante, então se você vai tentar transmitir uma mensagem, às vezes você tem que simplificá-la para conseguir fazer isso".

Sobre não tocar mais "Animal (Fuck Like A Beast)" ao vivo:
Blackie: "Nós não tocamos essa canção por vários anos. E é totalmente por causa da minha fé religiosa, e é algo que eu não quero mais fazer, e eu nunca vou tocar essa canção novamente.
O que eu posso fazer para ser uma influência positiva? Eu olho para o que estou fazendo e estou tentando criar o melhor exemplo que posso. Eu não quero jovens de 13 anos andando por aí cantando essa canção. Se for algo que eles quiserem fazer mais adiante em suas vidas, isso é assunto deles. Mas, como eu disse, é uma questão de fé e da convicção religiosa que eu tenho."

Sobre se isso significa que ele não tem tanto orgulho de tudo o que fez no passado:
Blackie: "Bem, essa seria uma dessas coisas, mas... Você tem que entender que eu acredito que fui colocado aqui nesta Terra para fazer algo muito específico. Este álbum, 'Babylon', que estamos trabalhando agora realmente fala sobre o que está acontecendo com o Livro das Revelações e a Bíblia.
"Alguém me perguntou isso um dia desses. Eles disseram, 'Você agora é um pregador rock and roll?' Eu disse, 'Não. Mas eu sou um mensageiro.' E esse é o meu trabalho. Então tudo o que eu fiz até este ponto me levou aonde estou agora".

Traduzido por Gabriel Costa | Fonte: FVN.no
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.