Pular para o conteúdo principal

Beatles: Paul se diz incomodado com o status de ‘mártir’ de John



PAUL MCCARTNEY admitiu que se sente ‘frustrado’ pelo assassinato de JOHN LENNON em 1980 tê-lo elevado ao status de ‘mártir’ – implicando que o resto dos Beatles foi relegado a pano de fundo.
E ele argumenta que a percepção de que Lennon liderava a banda é geralmente apoiada quando se compara os melhores trabalhos de John aos piores dele.
O músico de 73 anos disse à Esquire Magazine: “Os Beatles se separaram e éramos todos meio que iguais. George fez o disco dele, John fez o dele, eu fiz o meu, e Ringo o dele. Era como fora no tempo dos Beatles.
“Quando John foi baleado, além do puro horror da coisa toda, o incômodo foi o ‘agora John é um mártir, um JFK’. Eu comecei a ficar frustrado porque as pessoas começaram a dizer, ‘Bem, ele era os Beatles. ’
“Eu, George e Ringo dizíamos, ‘Espera aí – apenas um ano atrás éramos todos iguais. ”
McCartney enfatiza que ele não está tentando depreciar os êxitos de seu finado colega. “John era o sagaz. John fez grandes trabalhos e depois dos Beatles ele fez mais trabalhos excelentes. Mas ele também fez muita coisa não-excelente.
“O fato de ele agora ter sido martirizado o elevou a James Dean e além. Eu não me importo com isso – eu concordo. Eu entendi que haveria um revisionismo. Seria, ‘John era o cara’.
“Se você pegar os grandes trabalhos dele e daí emparelhar do lado dos meus não tão bons, fica fácil de argumentar. ”
Ele também lida com especulações de que nunca fora feliz com o trabalho dos dois ser publicado sob a marca ‘Lennon and McCartney’ – um acordo que ele diz ter sido alcançado depois de ele ter chegado atrasado a uma reunião com o empresário BRIAN EPSTEIN.
“John e Brian tinham conversado, e disseram, ‘Estamos pensando que deveríamos chamar as músicas de Lennon and McCartney’, ele lembra. “Eu disse, ‘OK, mas e porque não McCartney e Lennon? Se eu a compor, que tal isso? ’
“Eles disseram, ‘Okay, vamos alternar – Lennon e McCartney, McCartney e Lennon. ’ Isso não aconteceu, e eu não me importei. ”
Mas ele admite que isso ‘se tornou um problema’ em certos casos, como no clássico ‘Yesterday’. “Nenhum dos outros Beatles participou dela de modo algum – eu a compus sozinho, e a cantei sozinho”, ele declara.
“Eles não se importavam e eu não me importava. Ninguém se importava, mas isso é coisa minha. Então eu disse, ‘Podemos colocar ‘By Paul MCCartney e John Lennon’ – não seria uma boa ideia? A capa original tinha impresso ‘Yesterday by John Lennon and Paul McCartney’ e uma foto de John em cima. Eu mandei, ‘Porra, qual é? ’ E mesmo assim, eles não cederam. ”
Respondendo à acusação de ‘falar de quem não pode se defender’, ele diz: “Não é questão de ego grande. Apenas de identificar quem compôs aquilo.
“John deu uma entrevista muito boa onde ele fez isso: ‘Isso [é meu, isso é do Paul’, e eu pensei, ‘Apenas leve isso em conta – foi John quem disse’. Eu achava que isso era perfeitamente razoável, e ainda acho, a propósito. Mas eu não acho que seja viável por algum motivo. ”
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.