Pular para o conteúdo principal

Claustrofobia



Após 18 anos de muitas glórias, histórias e obstáculos superados, o Claustrofobia, um dos nomes mais respeitados do metal brasileiro, comunica oficialmente a saída do guitarrista Alexandre de Orio. O substituto é Douglas Prado, aluno de Orio. Ao lado de Marcus D’Angelo (vocal/guitarra), Daniel Bonfogo (baixo) e Caio D’Angelo (bateria), o músico gravou seis elogiados discos, se apresentou em diversas cidades do Brasil, Europa e Rússia, e se tornou um dos guitarristas mais importantes da música pesada do país.  Marcus D’Angelo comentou sobre como foram todos esses anos de união.

Confesso que foi extremamente difícil chegar a esse consenso. São 18 anos de amizade e desenvolvimento de um estilo. Passamos por muitas coisas juntos, não foi fácil tomarmos essa decisão em comum acordo. No entanto, chega um ponto em que temos que encarar a realidade que, cedo ou tarde, nos atingiria de frente. A amizade e consideração se mantém, até porque somos muito gratos por tudo o que o Alexandre contribuiu para a nossa sonoridade, desenvolvimento e sua marca estará para sempre no DNA do Claustrofobia, assim como também contribuímos para o crescimento dele também. Portanto, o Ale continua sendo da família Claustrofobia.

'' Alexandre de Orio também falou sobre como chegaram a essa árdua decisão.

 “Começamos tocando quando éramos moleques, sem responsabilidades, e em praticamente 20 anos muita coisa acontece, então chegamos num ponto em que algumas coisas se tornaram incompatíveis. Foi uma decisão bem difícil de tomar, principalmente pensando em todas as pessoas que sempre nos apoiaram e os fãs com quem sempre tive muito contato, mas é minha vida pessoal e musical que não posso deixar de pensar, assim como a da própria banda, então tive que tomar uma decisão, e como toda escolha, há perdas e ganhos. Já tenho uma vida musical estabelecida, tanto como músico quanto como educador. Ainda tenho projetos ligados ao metal como três livros pra escrever e um deles já está na metade, inclusive com bandas nacionais envolvidas, além da continuação da Série Metal Brasileiro.'' O Claustrofobia é uma das atrações do Metal Land Festival, o mais novo grande festival de rock/metal do Brasil. O evento, que acontece entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro, no Hotel Fazenda Vale das Grutas, em Altinópolis (SP), e já tem outros grandes nomes da música pesada nacional e internacional confirmados como Sepultura, Andre Matos, Krisiun, Matanza, Tim Ripper Owens (ex-Judas Priest/Iced Earth/Yngwie Malmsteen), Tuatha de Danann, Voodoopriest, Soulspell, Oitão, entre outros.

– O álbum “Master Of Space And Time”, do Mad Dragzter, já pode ser retirado gratuitamente no Shopping West Plaza (Av. Francisco Matarazzo, S/N), na Loja Mr. Kitsch (loja 3109, 2 º Piso, Bloco

A). O terceiro álbum do grupo tem tiragem inicial de 7 mil cópias e traz a banda em um trabalho maduro e ousado. “Master Of Space And Time” é o primeiro lançamento da Army Records.  A arte da capa é assinada pelo artista Sergio Cariello, conhecido como um dos mais talentosos do mundo dos quadrinhos, com uma bagagem que inclui trabalhos nas gigantes Marvel Comics e DC Comics – além de tantas outras empresas, como as independentes, CrossGen Comics e Dynamite Entertainment. A formação continua a mesma do trabalho anterior, “Killing The Devil Insde”, com Tiago Torres (vocal e guitarra), Gabriel Spazzani (guitarra), Armando Benedetti (baixo) e Eric Claros (bateria).

– O  guitarrista Rafael Bittencourt inicia neste semestre uma nova fase em sua vida musical. Com 25 anos de carreira e mais de 25 títulos lançados, dentre eles 1 CD Solo, o músico está lançando seu primeiro DVD. 7 anos após o lançamento do “Brainworms I”, Rafael Bittencourt teve seu projeto aprovado pelo PROAC e deu início a uma série de shows no estado de São Paulo com o patrocínio da Sociedade da Cerveja. Para os shows, além de assumir os vocais, Rafael Bittencourt pode contar com grandes músicos nacionais como Amom Lima (Família Lima), Nei Medeiros (Caremonya, Padre

Marcelo Rossi), Marcell Cardoso (Familia Lima) e Fernando Nunes (Cassia Eller, Zeca Baleiro).  O sucesso dos shows culminou no planejamento de um novo DVD Solo, que contará com músicas do seu primeiro trabalho solo e sucessos que marcaram seus 25 anos de carreira. Como novidade, o DVD trará músicas inéditas para pontuar essa nova fase do artista. As novas canções são uma mescla de sua bagagem musical com o rock brasileiro. A pré-venda do DVD está sendo feita através do Kickante, onde os fãs poderão adquirir outros produtos além do DVD. O link do Kickante é http://www.kickante.com.br/campanhas/rafael-bittencourt-garanta-ja-o-meu-novo-dvd
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Músico do Ghost comenta homenagem a amigo suicida

“He Is”, faixa do álbum Meliora, do Ghost, é uma homenagem a Selim Lemouchi, líder da banda holandesa The Devil’s Blood. Ele cometeu suicídio em março de 2014, aos 33 anos. “Vivíamos longe, mas sempre que nos encontrávamos era uma diversão. Essa música já existia em demos, mas nunca tínhamos acertado o aspecto lírico. Após a morte de Selim, tudo se acertou. Ela fala sobre a fé em um grande além”, disse um dos músicos da banda ao Loudwire.