Pular para o conteúdo principal

GTR, a união de Steve Howe e Steve Hackett, faz 30 anos com edição de luxo


http://headbangervoice.blogspot.com.br



Uma curiosidade acaba de chegar às lojas da Europa em uma edição de luxo, com CD bônus e livreto de qualidade. Alguém ainda se lembra do GTR?
Há 30 anos, dois gigantes do rock progressivo se uniram após alguns fracassados projetos no começo dos anos 80 para aquele que deveria ser um dos maiores supergrupos, na mesma linhagem de Cream, Blind Faith, Emerson, Lake and Palmer e The Firm. A expectativa era muito grande, e o naufrágio ocorreu rápido demais.

O GTR foi a união dos guitarristas Steve Howe (Yes) e Steve Hackett (Genesis). A ideia foi de Howe, que era apenas um conhecido de Hackett. Surpreendentemente, o ex-Genesis topou e a banda surgiu em 1985.
Howe ainda não tinha digerido muito bem o retorno do Yes em 1983, em formato mais pop e comercial – Jon Anderson (vocais) e Chris Squire (baixo) nem pensaram em convidá-lo para o que seria “90125'', megassucesso daquele ano.

Também andava insatisfeito com o Asia, que havia formado com John Wetton (baixo, ex-King Crimson e Uriah Heep) e Geoff Downes (teclados, ex-Yes). A queixa era de que o som estava comercial demais.
Hackett, por sua vez, ia bem com sua carreira solo desde que saíra do Genesis, em 1977, mas sentia falta de mais aventura, ou seja, de voltar a fazer uma música mais forte, instigante e, por que não, mais pesada. Howe também queria isso.
“GTR'', um acrônimo de guitar, em inglês, deu nome também à banda, e saiu em 1986. A expectativa era grande, e a  decepção, em seguida, também.

Tudo estava certinho, com um bom cantor (Max Bacon) e uma cozinha supertalentosa – Phil Spaulding no baixo e Jonathan Mover na bateria. O som tinha peso, força e qualidade, além de muito virtuosismo.
Só que não deu certo. Faltou um grande hit e mais carisma entre os integrantes, em especial ao correto mas pouco cativante Bacon. Houve uma turnê norte-americana e alguns shows na Europa, mas o entusiasmo do público foi zero. O álbum vendeu pouco, os shows não lotaram e o desânimo logo implodiu o grupo.

E eis que a Cherry Red Records, selo e gravadora ingleses, decidiu reeditar o álbum em uma edição de luxo para comemorar os 30 anos de criação da banda.
O CD é duplo, com o álbum original acrescido de três bônus chochos (versões diferentes de músicas do álbum). O melhor, no entanto, é o segundo CD, trazendo um show gravado em Los Angeles em julho de 1986. Na lista de músicas, algumas do álbum e clássicos do Yes e do Genesis.
“GTR'' é apenas raozável, com uma saudável disputa de egos e solos entre Hackett e Howe, mas não há nenhuma canção memorável. Os destaques vão para as duas primeiras, “When the Heart Rules the Mind'' e “The Hunter'', e a interessante “Jakyll and Hyde''. Ainda assim, não tinha como estourar – músicas boas, corretas, mas só, sem nenhum diferencial.

A versão 2015 vale pelo show contido no segundo CD, onde a banda mostra qualidade e competência, com empolgação e entusiasmo que faltaram no álbum de inéditas. Vale como uma curiosade, mas com qualidade.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Grave Digger: Banda Gueppardo convidada para abertura em Porto Alegre

A banda Gueppardo foi anunciada como uma das atrações de abertura para o show de Porto Alegre da nova turnê mundial do lendário grupo alemão, Grave Digger. Os shows acontecem no dia 29 de março, no teatro do CIEE (D. Pedro II, 861).

Grave Digger é considerada, ao lado de Rage e Running Wild, uma das maiores bandas de Heavy Metal surgidas na Alemanha, e uma das mais importantes do mundo. Com mais de 35 anos na estrada e 18 álbuns de estúdio lançados, essa é a décima passagem dos alemães pelo Brasil, que promovem o seu novo disco, “Healedby Metal”, lançado em janeiro de 2017.

Gueppardo é uma banda de Hard n’ Heavy de Porto Alegre (RS), formada em 2007. Possui no currículo shows em todo Brasil e também na Argentina, ao lado de nomes de peso, como Steve Grimmett's Grim Reaper e Blaze Bayley (Iron Maiden). Lançou em 2015, o álbum “Fronteira Final”, considerado como um dos melhores lançamentos do estilo no ano. Recentemente a banda disponibilizou em seu canal no youtube, o videoclipe ofi…

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine

Guns N’ Roses: Surge primeira foto de W. Axl Rose em 18 meses

Agora já com uma volta de parte do núcleo que fez do GUNS N’ ROSES a maior banda do mundo no fim dos anos 80 e começo dos anos 90 99,999% confirmada, podemos afirmar com a mesma proporção de certeza QUE:

1 – O grupo será SIM headliner do Coachella em abril próximo;

2 – A banda fará uma apresentação ao vivo no programa televisivo JIMMY KIMMEL LIVE! no mesmo dia em que as atrações do Coachella serão afirmadas – 6 de janeiro, uma quarta-feira;

3 – Mesmo com Duff e Slash a bordo, a banda – que também terá DIZZY REED, RICHARD FORTUS e FRANK FERRER – tocará “2 ou 3 faixas” do álbum de 2008 da marca, “Chinese Democracy”;

4 – Existe SIM um esforço do empresário Doc McGhee para que o SKID ROW – agora sem vocalista – reúna sua formação clássica com o vocalista SEBASTIAN BACH para abrir os 25 shows da turnê estadunidense que começa
em maio. Seria um modo de a banda celebrar os 25 anos de seu maior sucesso de crítica e público, “Slave To The Grind”

5 – Prepare-se para comprar uma caça…